TJ mantém inelegível ex-prefeito de Pescaria Brava

Além dessa ação, tramitam na Justiça os processos relativos à Operação Mensageiro, que o levaram à prisão e posterior renúncia do mandato político na cidade de Pescaria Brava.
Deyvisonn de Souza, em entrevista a Agora Laguna - Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna/Arquivo

O ex-prefeito de Pescaria Brava, Deyvisonn de Souza (MDB), teve mantida a suspensão dos direitos políticos e a consequente inelegibilidade pelo prazo de doze anos. A decisão é da 3ª Câmara de Direito Público, do Tribunal de Justiça, e foi tomada na terça-feira, 5.

A condenação decorre de investigação por fatos ocorridos no período em que o emedebista foi vereador e presidiu a Câmara de Laguna, na primeira década dos anos 2000. Além dessa ação, tramitam na Justiça os processos relativos à Operação Mensageiro, que o levaram à prisão e posterior renúncia do mandato político na cidade de Pescaria Brava.

Conforme os autos, o político teria se beneficiado de entidades sociais que recebiam subvenções do poder público. As entidades precisavam ter uma lei municipal com o reconhecimento de utilidade pública e declaração de funcionamento das entidades, documentos que eram facilitados por Souza. Posteriormente, as instituições recebiam recursos e repassavam parte para o esquema do qual o ex-prefeito fazia parte.

Souza havia sido condenado já em primeiro grau, na Justiça de Laguna. Além das punições políticas, ele terá de ressarcir o valor de R$ 33,9 mil com juros e correção monetária. Agora Laguna aguarda posicionamento da defesa do ex-prefeito.

Notícias relacionadas