Saúde, infraestrutura e iluminação: as reivindicações da região Norte na sessão da Câmara

As sessões visam são uma tentativa dos vereadores de se aproximarem mais das localidades, sobretudo as mais afastadas, e poderem ouvir as demandas mais urgentes e necessárias para a população.
Divulgação/CML
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,367 visualizações,  4 views today

Moradores das comunidades que formam a chamada região Norte de Laguna puderam expor suas necessidades, na noite de quinta-feira, 28, durante a segunda sessão itinerante da atual legislatura da Câmara de Vereadores. O encontro foi no salão paroquial de Caputera e contou com a participação de todos os 13 parlamentares.

As sessões visam são uma tentativa dos vereadores de se aproximarem mais das localidades, sobretudo as mais afastadas, e poderem ouvir as demandas mais urgentes e necessárias para a população. Para isso, representantes comunitários puderam falar pelas localidades: Heleodoro Monteiro e Andréa Borges (Caputera), Omar Pacheco (Nova Fazenda), Dener Nascimento (Barranceira), Regina Marçal (Perrixil) e Mônica Ferreira (Bentos). Fernando Mendonça representou o Estreito por meio de uma carta.

Entre os pedidos citados – por quase todos – estão extensão da rede de iluminação pública e reparos em várias ruas das comunidades, que sofrem com a falta de lâmpadas em alguns pontos; ampliação dos atendimentos nas unidades básicas de saúde; melhoria na infraestrutura de algumas vias que cortam os bairros. Reveja a sessão aqui.

“Nossas pautas são reivindicadas desde 2018 e inclusive, numa outra sessão itinerante, foram as mesmas reivindicações”, apontou a vice-presidente do Conselho Comunitário de Caputera, Andréa Borges. “Ainda temos algumas dificuldades”, pontuou.

Outro ponto citado, pelo representante de Nova Fazenda, foi o fato de que com o pedágio, a comunidade ficou ‘cortada’ ao meio e para atravessar a rodovia é necessário pagar a taxa de R$ 2,10. “Vou à padaria, pago R$ 2 em pão e R$ 4 em pedágio”, reclamou Pacheco. “Chega a ser uma piada”, lamentou o presidente Rhoomening Rodrigues (PSDB), que garantiu empenho para viabilizar uma solução para a comunidade.

Todas as pautas serão compiladas em um relatório assinado pelos edis e serão levadas ao conhecimento do prefeito Samir Ahmad (sem partido). “Foi um encontro muito positivo. As reivindicações são parecidas, próximas. O nosso povo quer o básico e eles têm cobrado. Vamos repassar ao Executivo tudo o que nós ouvimos”, comenta a vice-presidente da Câmara, Deise Cardoso (MDB). “O Executivo tem sua missão e o Legislativo a sua atribuição, vamos cobrar o básico, que é o que escutamos aqui. Daremos força para que a comunidade não sofra, não careça de tão pouca coisa”.

A próxima sessão está prevista para 25 de novembro, última quinta-feira do mês, e será sediada em Campos Verdes, para reunir os bairros que formam a chamada região da ilha do Farol de Santa Marta.

Notícias relacionadas