Profissionais da saúde terão reforço vacinal contra coronavírus, diz Queiroga

Semanas atrás, o Ministério da Saúde aprovou o reforço para idosos acima de 70 anos e pessoas com imunossuprimidas (pessoas transplantadas, com câncer e outros tipos de doenças graves).
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,360 visualizações,  4 views today

Profissionais da saúde serão incluídos no grupo de vacinados contra coronavíus que receberão dose de reforço vacinal. À exemplo dos idosos, a aplicação vai ocorrer após os seis meses de terem completado o esquema vacinal. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, nesta sexta-feira, 24.

Semanas atrás, o Ministério da Saúde aprovou o reforço para idosos acima de 70 anos e pessoas imunossuprimidas (pessoas transplantadas, com câncer e outros tipos de doenças graves) com a orientação de que essa complementação ocorra com uma vacina de fabricante diferente. Isto é, quem recebeu Coronavac ou AstraZeneca, receberá Janssen ou Pfizer (sendo que esta deve ser a vacina preferencial), ou vice-versa.

“Acabamos de aprovar a dose de reforço para profissionais de saúde, preferencialmente com a Pfizer, a partir de seis meses após a imunização completa. Essa já é a maior campanha de vacinação da história do Brasil”, postou em suas redes sociais.

Notícias relacionadas