Felipe Estevão confirma convites e admite possibilidade de deixar PSL

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 800 visualizações,  8 views today

Eleito na esteira da ‘onda Bolsonaro’, o deputado estadual Felipe Estevão admitiu, em entrevista ao Portal Agora Laguna, a possibilidade de se desfiliar do Partido Social Liberal (PSL) e migrar para outra legenda.

De acordo com Estevão, há convites do MDB, PSD, PL e DEM, este último feito pelo prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, atual presidente estadual da sigla. “Tenho que escolher um partido que seja benéfico não para mim, mas que facilite a eleição, ou seja, organizado, tenha fundo, estrutura e legenda […] e para que Laguna continue tendo voz no parlamento, sua representatividade e para que ministros e secretários continuem vindo e a gente tenha esse protagonismo”, explica o parlamentar.

O fator Bolsonaro também pode influenciar na decisão. O presidente da República deixou o PSL um ano após a eleição com a intenção de fundar um partido político próprio (Aliança Pelo Brasil). Como a criação do Aliança está estagnada, ele já estuda a possibilidade de assinar filiação em alguma legenda já existente.

“Quero avaliar e olhar para onde, por exemplo, o Bolsonaro vai e se isso pode influenciar no estado; se ele vai para um PL da vida, né, é um cenário”, cita Estevão. O Partido Liberal (PL) é uma das legendas cotadas para que o presidente ingresse, junto com PTB e PRTB. “Estou sendo criterioso, cauteloso, e buscando sabedoria para fazer uma escolha certa”.

O parlamentar está em seu primeiro mandato. Antes do PSL, ele foi candidato a vice-prefeito de Laguna pelo PSC em 2016 e fez parte do PSDB entre 2017 e 2018, chegando a ser presidente da ala jovem tucana na cidade. Estevão também foi alvo de processo interno na legenda pesselista, que gerou uma suspensão após ter adotado posição crítica ao governo de Carlos Moisés (PSL) no primeiro semestre do ano passado.

Mesa diretora

A Assembleia Legislativa (Alesc) retornou às atividades na última segunda-feira, 1º, com a eleição do deputado Mauro de Nadal (MDB) como presidente. Na composição da mesa diretora, em 2021, o pesselista Ricardo Alba será o primeiro-secretário e no próximo ano, a função será repassada a Estevão. “A gente se relacionou bem na casa e fizemos o acordo para que eu esteja na primeira-secretaria da mesa no último ano e isso vai dar muito protagonismo político à Laguna”, comenta.

Notícias relacionadas