Thiago Duarte e Marcos Aurélio Barzan – Fotos de arquivo: Elvis Palma | Montagem: Editoria de arte/Agora Laguna

O advogado e vereador Thiago Alcides Duarte (MDB) renunciou oficialmente nesta terça-feira, 29, à candidatura de vice-prefeito na chapa do prefeito Mauro Candemil, que concorre à reeleição. O parlamentar foi um dos detidos na Operação Seival II, na quinta-feira, 24.

A informação foi confirmada ao Portal Agora Laguna pela defesa do agora ex-candidato e pelo presidente do MDB em Laguna, Antônio Luiz dos Reis. A candidatura de Duarte foi confirmada no dia 12 de setembro e havia sido homologada perante a Justiça Eleitoral no dia anterior à ação da Polícia Civil e do Ministério Público.

“Amanhã [quarta-feira, 30] o Thiago será ouvido pela autoridade policial e esclarecerá todos os fatos que forem de interesse da investigação. A defesa tem convicção de sua total inocência, o que será devidamente provado no tempo oportuno”, informou a defesa do parlamentar.

Segundo Reis, na comunicação feita ao partido, Duarte não deu sinais de intenção de concorrer a um terceiro mandato como vereador, mas há tempo hábil para manifestar interesse à sigla. Ele foi eleito em 2012 e 2016.

Outros dois parlamentares do partido, Cleosmar Fernandes e Valdomiro Barbosa, também detidos na operação de quinta-feira, estão mantidos como candidatos a vereador pelo MDB em novembro. Os dois não encaminharam nenhuma comunicação à direção da sigla em Laguna para comunicar eventuais renúncias.

Novo vice já enfrentou Candemil nas urnas em 1996

Para substituir o ex-candidato a vice, o MDB buscou um nome interno com experiência em administração e participação eleitoral: Marcos Aurélio Barzan. A mudança foi oficializada nesta tarde pela executiva municipal nesta tarde e será comunicada à Justiça Eleitoral nos próximos dias. Essa é a primeira troca de candidaturas que ocorre em Laguna com o processo eleitoral já em curso neste ano.

A mudança na chapa, coloca juntos para a disputa dois nomes que já estiveram em lados opostos há quase 25 anos. Hoje concorrente à reeleição, Candemil, em 1996, também foi escolhido candidato a prefeito pela sigla emedebista, tendo como vice o ex-prefeito Nelson Abraham Netto.

Por sua vez, o agora seu companheiro de chapa era vice do empresário e ex-vereador João Batista dos Santos (do então PFL, hoje DEM). Na época, as duas candidaturas foram derrotadas por João Gualberto Pereira (do então PPB, hoje PP), que foi eleito prefeito da cidade com 12 mil votos. O Portal Agora Laguna tentou localizar Marcos Barzan para comentar a escolha de seu nome como vice de Candemil, mas o candidato não foi encontrado.

O MDB também deliberou e registrou em ata o nome do ex-vereador Jorge da Rosa como suplente à chapa majoritária. Isso quer dizer que caso haja vacância de alguns do cargo no decorrer do processo eleitoral, ele automaticamente será incluso como substituto. Os emedebistas também inscreveram mais um nome para a disputa pela Câmara: Francisco Sales Soares.

Perfil de Marcos Aurélio Barzan

Marcos Aurélio Barzan é economista e político. Foi servidor público atuando em órgãos estaduais e municipais como na Câmara Municipal de Laguna onde atuou na diretoria-geral entre 1989 e 1996. Foi assessor parlamentar e chefe de gabinete na Câmara de Florianópolis entre 1997 e 2002. Chegou a ser presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon) em Santa Catarina.

Retornou para Laguna em 2003 e assumiu cargos no Executivo municipal. O ultimo cargo ocupado na prefeitura foi o de coordenador especial de Gabinete, na administração de Everaldo dos Santos (hoje no PDT), entre 2013 e dezembro de 2014, onde chegou a ocupar também a função de secretário da Fazenda. Na política, foi candidato a prefeito em 1992 (PMDB), vice em 1996 (PFL) e vereador em 2004 (PMDB), mas não foi eleito nas três oportunidades. Tem 76 anos.