A partir desta sexta-feira, 7, a BR-101 Sul, no trecho entre as cidades catarinenses de Paulo Lopes e São João do Sul, passa a ser administrada oficialmente pela CCR ViaCosteira, subsidiária do Grupo CCR criada especialmente para essa concessão. A empresa venceu, em fevereiro, o leilão que privatizou os 220,4 quilômetros da pista federal e vai ter o direito de exploração da rodovia pelos próximos 30 anos.

Nos primeiros meses de administração, a CCR vai realizar um trabalho intenso de manutenção da rodovia. “Faremos um intensivo de poda de vegetação, troca de elementos de segurança, defensas metálicas, limpeza de boeiros, reparos no pavimento, troca da sinalização vertical. São diversos serviços que serão feitos nesses meses, para trazer a rodovia para os padrões de qualidade e normas técnicas exigidas”, aponta o gestor de atendimento da empresa, Diogo Stiebler, em entrevista ao Agora Laguna (assista acima).

A CCR estima que cerca de 350 colaboradores atuem nesses trabalhos iniciais na rodovia, que tem dois túneis (em Paulo Lopes e em Tubarão) e uma ponte (Anita Garibaldi, em Laguna), que passam também para a gestão da empresa. “É um grande orgulho iniciar os trabalhos na BR-101”, afirma o gestor.

De maneira conjunta aos trabalhos de conservação, a construção das praças de pedágio será iniciada. “O contrato firmado entre concessionária e governo federal prevê que até o 12º mês de concessão, a cobrança possa ser iniciado”, acrescenta Stiebler. As praças de cobrança ficarão nos limites municipais de:

  • Laguna e Imbituba, quilômetro 298
  • Tubarão, Jaguaruna e Treze de Maio, quilômetro 396
  • Araranguá e Maracajá, quilômetro 408
  • São João do Sul e Passo de Torres, quilômetro 460

O preço dos pedágios inicialmente ficou definido em R$ 1,97, mas segundo Stiebler, essa taxa é reajustada anualmente, através de análise dos indicadores econômicos. O gestor confirma que há possibilidade de uma alteração no valor até a primeira cobrança. A ideia é que o valor possa alcançar até R$ 2,10.

A ideia da empresa é oferecer serviços de mecânica e atendimento médico já nos próximos seis meses. Todo o trecho administrado pela empresa será monitorado por 235 câmeras de segurança.

Tubarão foi escolhida para ser a sede principal da companhia. A escolha, justifica Stiebeler, foi pelo fato de o município vizinho estar no ponto médio da rodovia.  “Nos dará condições para acessar as duas pontas com facilidade, esse foi o elemento principal que justificou a escolha”, diz.

De acordo com a CCR, os município cortados pela rodovia federal serão beneficiados pelo repasse do Imposto Sobre Serviço (ISS). Esses valores são gerados pelos serviços de conserva, obras e melhorias, bem como da arrecadação das praças de pedágio.

A empresa também projeta a implantação de projetos de responsabilidade social implementados por meio do Instituto CCR, nas comunidades em que a concessionária estiver presente. A entidade é o braço do grupo para atuação direta no planejamento e monitoramento das iniciativas apoiadas.

Foto: Muriel Ricardo Albonico/ESGA/DNIT

Mais de 300 empregos já em 2020

A previsão é gerar mais de 300 empregos diretos neste ano, para que a empresa possa iniciar os trabalhos. Mas a expectativa da empresa é maior, projetando a geração de aproximadamente 3,7 mil empregos diretos e indiretos.

“[A geração de empregos] é um assunto de extrema relevância. A política da companhia é de que esses empregos sejam gerados para a população regional, para contribuir com o desenvolvimento regional. Ainda em 2020, a previsão é de 300 empregos; naturalmente que a medida em que as obras forem acontecendo e serviços implantados, esses números vão aumento”, frisa Stiebler.

A CCR já mantém na internet cadastro de currículos para as pessoas interessadas. As vagas são divulgadas conforme a necessidade da concessionária. Acesse aqui a plataforma de empregos da empresa.

Iluminação da Ponte Anita Garibaldi fica com CCR

Inaugurada em julho de 2015, a Ponte Anita Garibaldi está localizada no Canal de Laranjeiras. Iluminada por LED, a estrutura nunca teve uma conta de energia paga e atualmente está com os estais de sustentação apagados. Com a concessão da rodovia, a responsabilidade passa a para a CCR.

“A partir da assunção, a responsabilidade de iluminação daquilo que está previsto no contrato de concessão passa a ser arcado às expensas da concessionárias. Portanto, [sobre] a Anita Garibaldi, que tem uma iluminação moderna e muito bem realizada, delineando aquilo que é um cartão postal para o estado, nós passaremos a fazer a manutenção e o pagamento das contas”, explica o gestor.

Já os valores devidos entre julho de 2015 e agosto de 2020 continuarão à espera de uma decisão judicial. A Celesc tenta cobrar a conta e já obteve duas decisões favoráveis obrigando a prefeitura de Laguna a arcar com os valores. O município recorre e aponta que a cobrança deveria ser feita ao Dnit, órgão federal responsável pelas rodovias. O departamento diz que não tem responsabilidade legal, por não arrecadar Cosip (taxa de iluminação pública). O débito passa de R$ 450 mil.

Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Investimentos

Ao todo, a CCR deve fazer investimentos na casa de R$ 7,4 bilhões. O projeto da empresa elenca como obras principais: a construção de 98,3 quilômetros de faixas adicionais, 70,3 quilômetros de vias marginais, 18 passarelas, 42 retornos, renovação de 31 acessos, 25 novos pontos de ônibus, nova iluminação ao longo do percurso e monitoramento por vídeo.

Usuários do trecho de 220 quilômetros vão contar com seis bases de atendimento, sendo que quatro serão construídas e duas existentes recuperadas. A frota de atendimento será composta por 17 veículos operacionais voltados aos atendimentos: seis ambulâncias, cinco guinchos e seis viaturas de inspeção.

A CCR irá implantar um centro de controle de operações, para comandar a logística dos recursos operacionais no atendimento às ocorrências e monitoramento, através de contato permanente com as viaturas de inspeção de tráfego. A atuação será de 24 horas por dia, todos os dias da semana, com meta de oferecer rapidez e eficiência para que o fluxo de veículos mantenha condição ideal de tráfego e os usuários sejam atendidos com agilidade e segurança.

A ideia é que até fevereiro de 2021, já sejam ativados os canais de comunicação da concessionária, como telefone 0800 para informações e emergências, site institucional, aplicativo, e painéis de mensagens variáveis móveis, com dados da rodovia. Mas a partir desta sexta-feira, os usuários já podem entrar em contato com a empresa por meio da ouvidoria ([email protected]) para informações gerais sobre a concessionária.