Ex-prefeito é alvo de novo inquérito no MP por suspeita de pagamento irregular de viagem

Viagem ocorreu na mesma semana em que político foi detido na primeira fase da Operação Mensageiro. Souza renunciou em julho do ano passado.
Deyvisonn de Souza, em entrevista a Agora Laguna - Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna/Arquivo

O ex-prefeito de Pescaria Brava, Deyvisonn de Souza (MDB), e tornou alvo de um novo inquérito civil instaurado pela 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Laguna, com intenção de investigar suposto ato de improbidade administrativa.

A denúncia diz que o político teria feito o pagamento de despesas de viagem a Brasília (DF) de sua esposa com recursos públicos no dia 5 de dezembro de 2022. No dia seguinte, Souza foi preso na primeira fase da Operação Mensageiro – ele cumpria, segundo a prefeitura, agenda oficial na capital federal.

Originalmente, a denúncia foi registrada em junho de 2023, mas o tempo passou sem avanço e em fevereiro deste ano, a nova promotora, Fabiana Silva Wagner instaurou novo inquérito civil com prazo de um ano. “Tal conduta pode configurar a prática de ato de improbidade administrativa que importam enriquecimento ilícito, previsto na Lei de Improbidade Administrativa”, diz a promotora.

Conforme informações obtidas pelo jornal Folha Regional, a promotoria deu prazo de 30 dias para que a prefeitura forneça informações e preste esclarecimentos a respeito das despesas decorrentes do empenho, especialmente quanto à eventual emissão de passagem aérea e despesas para a esposa do então ex-prefeito.

Notícias relacionadas