‘As escolas estão preparadas, quem não está é o poder público’, diz presidente da Liesla

Desde ritmos de bateria a fantasias e maquiagens diferenciadas, a demonstração de cada agremiação arrancou aplausos, gritos e outras manifestações de carinho e vibração do público que assistia.
Foto: Carla Medeiros/Agora Laguna

Com bom público ao longo da rua Raulino Horn e que ocupou também as margens das praças República Juliana e Jerônimo Coelho, o pré-carnaval encerrou oficialmente na madrugada deste domingo, 4. A finalização marca o início do período de avaliação e planejamento para que em 2025 possa ser realizado um desfile oficial das cinco agremiações da cidade.

Para o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesla), Edson Roberto da Luz, o interesse do público a cada noite foi superior ao esperado e é “uma prova viva que o desfile das escolas de samba tem que voltar imediatamente”.

A declaração foi dada durante entrevista na transmissão do Portal Agora Laguna. O pré-carnaval ocorreu em oito noites, de quarta a sábado, a partir do dia 24 de janeiro. O fomento para a realização do evento foi através de repasse municipal pela Fundação Lagunense de Cultura no valor de R$ 264 mil, incluindo emendas impositivas de vereadores. O dinheiro foi liberado no dia 22, a dois dias dias do início do evento.

“Que os políticos e os representantes de Laguna assumam a responsabilidade e façam voltar o Carnaval. Ano que vem teremos uma transição e a gente não sabe como vai se definir isso aí”, cobrou.

Para Edson, até mesmo o local de realização do evento precisa passar por uma revisão, diante do público que cresceu a cada noite. “A gente tem que pensar em fazer um pré-carnaval em um lugar mais espaçoso. As escolas de samba estão preparadas, quem não está é o poder público”.

A última noite teve a exibição de todas as cinco escolas de samba da cidade e cada uma trouxe novidades ou modificações em relação às apresentações anteriores. Desde ritmos de bateria a fantasias e maquiagens diferenciadas, a demonstração de cada agremiação arrancou aplausos, gritos e outras manifestações de carinho e vibração do público que assistia.

Notícias relacionadas