Seis toneladas de pescado são apreendidas e estabelecimento é interditado, em Cabeçuda

Pescados foram apreendidos e inutilizados junto à uma indústria rações local. A carga será submetida a processo térmico para produção de farinhas e gorduras. Nome do local não foi divulgado.

Um estabelecimento de Cabeçuda foi interditado por não possuir registro em serviço de inspeção sanitária na semana passada. O local processava pescados, sendo que 6,5 toneladas foram apreendidas.

A fiscalização ocorreu pelo Departamento Regional de Tubarão da Companhia de Desenvolvimento Agrícola (Cidasc). “As ações de fiscalização visam coibir o comércio irregular e salvaguardar a saúde única. Alimentos de origem animal não inspecionados oferecem risco ao consumidor, pois não há garantia quanto às condições da matéria prima e do beneficiamento para evitar contaminações ao produto”, diz o coordenador do Serviço de Inspeção Estadual, Guilherme Dandolini

Segundo a Cidasc, além da falta de alvará da prefeitura e registro em serviço de inspeção sanitária, que é obrigatório para todo estabelecimento que abate ou beneficia produtos de origem animal, a empresa era clandestina e tinha condições precárias de higiene. “No local não havia controle de processos, nem medidas de autocontrole, como temperatura e água de abastecimento. Os produtos não tinham comprovação de origem e os manipuladores não apresentavam os devidos exames de saúde compatível com a atividade”, disse o órgão.

Os pescados foram apreendidos e inutilizados junto à uma indústria rações local. A carga será submetida a processo térmico para produção de farinhas e gorduras.

Notícias relacionadas