Previous
Next

Camarão de Laguna terá registro oficial

Além de Laguna, o estado catarinense tem as IGs dos vales da uva Goethe, em Urussanga; banana da região de Corupá; maçã fuji da região de São Joaquim; vinhos de altitude de SC e do mel de melato da Bracatinga.
Divulgação
Previous
Next

Que o camarão de Laguna tem uma qualidade única, isso todo lagunense sabe. Agora ficará mais fácil reconhecer essa identidade. O crustáceo receberá a indicação geográfica após anos de um processo pela concessão do registro.

O registro agrega valor ao Camarão Laguna e, de certa forma, trabalha a segurança alimentar, afinal muita gente usa a marca indevidamente, em várias partes do país. A Indicação Geográfica é uma forma de resguardar o produto”, explica a gestora de projetos da Gerência Regional Sul do Sebrae-SC, Juliana Ghizzo. O evento será no próximo dia 21, às 10h30, no Mercado Público.

O camarão passou em 15 dos 20 diagnósticos realizados e teve reconhecido o diferencial do produto elencado com sua origem. Conforme o Sebrae, também foi identificada elevada notoriedade do produto no mercado catarinense e no restante do país. Ele é considerado peça-chave na formação identitária da população residente no Complexo Lagunar e um ativo importante para a gastronomia e o turismo regional.

Na visão do presidente da Associação Catarinense de Criadores de Camarão (ACCC) e ex-vice-prefeito, Zeno Alano Vieira, o recebimento da IG é uma forma de ressaltar a qualidade diferenciada do camarão produzido nas fazendas de Laguna. “A produção de camarão aqui já é conhecida em todo o Brasil”, comenta. A entidade foi a responsável por iniciar a busca pelo processo de concessão do registro.

Além de Laguna, o estado catarinense tem as IGs dos vales da uva Goethe, em Urussanga; banana da região de Corupá; maçã fuji da região de São Joaquim; vinhos de altitude de SC e do mel de melato da Bracatinga.

Previous
Next