Reformado, ginásio de escola passará por reparos

Quadras também apresentam problemas. Situação já é de conhecimento da Coordenadoria Regional de Educação (CRE) de Laguna, que já trabalha para resolvê-la.
Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna
Previous
Next

As obras começaram em 2016 e oficialmente, segundo painel do governo do Estado, ainda estão em andamento, mesmo assim os estudantes já usufruem das melhorias na Escola de Ensino Médio Almirante Lamego (antigo Ceal). Ou melhor, de quase todas. As quadras esportivas externas e a interna, que faz parte do ginásio, precisam de manutenções para terem uso.

Para entender como tudo isso aconteceu é preciso voltar no tempo. O ginásio nem bem ficou pronto e teve o piso da quadra seriamente avariado pela forte chuva de maio de 2019, que alagou o Centro, Campo de Fora, onde a escola se situa, e outros bairros. Na ocasião, a estrutura de madeira ficou horas sob água e quando secou, ficou inutilizada. A madeira absorveu a umidade e provocou ondulações.

Paralelo a isso, a área esportiva foi alvo de furtos. As fiações e equipamentos elétricos foram levados durante o período em que a escola ficou sem atividade presencial na pandemia de coronavírus. Já na área externa, os alambrados da quadra cederam e há cestas de basquete que também não resistiram à ferrugem. Das quadras, a maior parte está inativa. Mais de R$ 8,1 milhões foram investidos na obra, que além do ginásio, teve outras alas incluídas.

Estado conhece problema

A situação já é de conhecimento da Coordenadoria Regional de Educação (CRE) de Laguna, órgão do governo catarinense que substituiu a Gerência Regional (Gered) e ficou responsável pela administração das escolas da rede estadual na região. Engenheiro da Secretaria de Infraestrutura cedido à Secretaria de Educação estadual, Paulo César Pinto é quem está a frente dos processos ligados à essa questão. Ao Portal, ele detalhou o que será realizado no Almirante Lamego.

“Os materiais usados no projeto não foram os mais adequados em relação à maresia e à localidade onde a quadra está instalada. Infelizmente, de forma precoce, ocorreu oxidação e requer uma troca. Isso será feito ainda no primeiro semestre deste ano”, explica. A manutenção não se enquadrou na garantia de obra e terá de ser feita via contratação de empresa para manutenção.

No ginásio, a solução é semelhante. Será necessário fazer contratação de uma empresa nova, já que o dano não foi causado por falha na execução de projeto ou outro fator que permitisse acionamento da garantia. No caso, foi confirmado que o problema foi gerado por uma intempérie. “Findado o processo administrativo [que apurou responsabilidade sobre o problema], a gente consegue agir através de uma ata de manutenção e ainda dentro desse ano, possivelmente no início do segundo ano, vamos atuar no ginásio”, detalha.

Além do Almirante Lamego, foi detectada a existência de saliências semelhantes na quadra da escola Ana Gondin, no Magalhães, cuja obra ainda aguarda inauguração oficial. Segundo o engenheiro, diferente do que ocorreu no colégio do Campo de Fora, os reparos foram apurados como de responsabilidade da empresa executora, logo, se enquadraram na garantia.

Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Previous
Next

Notícias relacionadas

Previous
Next