Inquérito da Polícia Civil sobre naufrágio de lancha pode ser concluído em 30 dias

Inquérito é paralelo aberto ao da Marinha, que dura 90 dias. Uma troca de informações entre as corporações não está descartada.
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

 3,000 visualizações

Se não houver necessidade de prorrogação, o inquérito aberto pela Polícia Civil de Laguna para investigar o naufrágio de uma lancha, no canal de navegação da Barra, deve ser concluído em cerca de 30 dias. O acidente completou uma semana, nesta sexta-feira, 21.

Titular das investigações, o delegado Franco Reginatto explica que as investigações ainda estão na fase inicial. “Pretendemos esclarecer se foi uma fatalidade ou se há culpa humana no naufrágio, o que poderia gerar responsabilidade criminal”, explica.

O inquérito é paralelo aberto ao da Marinha, que dura 90 dias. Uma troca de informações entre as corporações não está descartada. “É importante o contato com a Marinha, já que eles detêm conhecimento técnico do fato”, diz Franco.

A lancha era ocupada por sete pessoas, todas de Caçador, e veio à pique por volta das 15h. Quatro foram socorridas com vida. Ricardo Barbosa, 46, vereador, e mais um amigo, Deyvid Fernandes, 29 anos, estavam com alto grau de afogamento e inconscientes. Os socorristas do Corpo de Bombeiros fizeram manobras de reanimação, mas os dois não resistiram.

Apenas um dos tripulantes ainda não foi encontrado. Michel Barbosa está desaparecido desde aquele dia. Os bombeiros têm feito um trabalho incessante de buscas pelo rapaz de 25 anos, mas até o momento sem sucesso. Além da corporação, a Capitania dos Portos e as polícias Militar e Civil prestam apoio.

Nesta sexta-feira, 21, os trabalhos duraram 12 horas seguidas, em uma faixa de busca entre Garopaba e Jaguaruna. As condições marítimas têm dificultado o trabalho, mas o CBM garante que a força-tarefa seguirá ativa de forma incansável. A procura recomeça no sábado, 22.

Notícias relacionadas