Câmara pede retratação de prefeito após desabafo e discurso de vereadora

Requerimento foi lido na sessão desta quinta-feira, 25, que encerrou os trabalhos mensais dos parlamentares. A situação é um desdobramento do discurso da edil na tribuna, na terça-feira, 23, quando externou "tentativas de barganha" para mudar seu posicionamento no Legislativo.
Foto: Sidnei Silva/CML/Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 5,900 visualizações,  4 views today

Os últimos dias foram de turbulência no meio político de Laguna e culminaram em um pedido formal da Câmara de Laguna para que o prefeito Samir Ahmad (sem partido) faça uma retratação pública e um pedido de desculpas à vereadora Nádia Tasso Lima (DEM). O requerimento foi lido na sessão desta quinta-feira, 25, que encerrou os trabalhos mensais dos parlamentares. A situação é um desdobramento do discurso da edil na tribuna, na terça-feira, 23, quando externou “tentativas de barganha” para mudar seu posicionamento no Legislativo.

Há dois dias, durante o grande expediente, momento em que os vereadores sobem à tribuna para discursar sobre assuntos variados, Nádia desabafou e lamentou práticas que estariam ocorrendo por parte do Executivo. Recentemente, ela tornou público seu descontentamento com uma iniciativa da prefeitura de remanejar recursos destinados por ela para entidades via emenda impositiva – de pagamento obrigatório para fim específico – para uso na folha de pagamento municipal, embora reforce não se posicionar contra os vencimentos dos servidores, mas sim da forma como está sendo feito o processo.

“Quero deixar claro ao senhor prefeito que não sou uma pessoa de difícil acesso, sempre estive aberta à conversas […] O senhor prefeito acho que pensa que sou uma pessoa difícil para mandar recados e cercear pessoas próximas a mim para que mude de opinião. Não é assim que eu trabalho”, discursou a vereadora na terça-feira. O pronunciamento da edil pode ser visto aqui, no minuto 38:38, em gravação da própria Câmara. “Me sinto ofendida, pois não sou negociante, nem comerciante […] Não é assim que se mostra honestidade, transparência. Uma conversa, uma explicação, uma satisfação é o mínimo que eu peço para com minha pessoa”. O prefeito nega (veja adiante).

A situação ganhou contornos mais amplos no dia seguinte. Em uma reunião com vereadores, antes da chegada de Nádia, conforme relato na tribuna, o chefe do Executivo teria feito uma declaração de que a vereadora só poderia entrar na prefeitura municipal com atestado de sanidade. A fala não caiu bem entre alguns parlamentares que participaram da reunião ou que não estavam, mas tomaram ciência do fato posteriormente. Na sessão da Câmara desta noite, o presidente Rhoomening Rodrigues (PSDB) confirmou a versão que circula. “Uma frase de péssimo gosto”, afirmou o vereador. As falas podem ser acompanhadas, aqui, a partir do minuto 14:15.

“Foi uma brincadeira sem graça que eu tive que escutar”, disse Nádia, nesta noite. “Meu diagnóstico tem as seguintes patologias: honestidade em excesso, retidão de caráter, dignidade em alta, inconformismo com a corrupção. Se isso é ser louca, eu sou”. Uma nota de repúdio e um pedido de retratação foi requerido pela Câmara, através de solicitação encabeçada pela vice-presidente Deise Cardoso (MDB). O requerimento foi aprovado por unanimidade.

“É um total desrespeito. A gente entende que foi alguma coisa sem pensar, indevida, mas que exige um pedido de retratação, de desculpa pública. Se trata de uma mãe, mulher, parlamentar e esse tipo de brincadeira não diz respeito à conduta do gestor público. Injuriar publicamente, na presença de outras pessoas, é um ato realmente de muita falta de juízo, de discernimento”, afirma Deise.

Portal Agora Laguna acompanhou a sessão e procurou Nádia Tasso Lima para gravar entrevista. Por opção pessoal e orientada por sua assessoria jurídica, a edil optou por conceder manifestações públicas apenas após a resposta do prefeito.

Prefeito nega barganha

Durante o apitaço de conscientização sobre a erradicação da violência contra a mulher, nesta manhã, o prefeito Samir Ahmad foi questionado sobre as afirmações da vereadora durante o discurso de terça-feira.

“É inadmissível a barganha de algo que ela votou a favor. A vereadora tem o direito de se pronunciar e a gente respeita. Se faz bem isso para ela, quem sou eu né. Nós dedicamos o nosso tempo a trabalhar e não temos dado ouvidos à fofocas e lamentos. Infelizmente, parece que a política em Laguna é movida à fofoca e disso não faço parte”, afirmou o prefeito.

Segundo Ahmad, a acusação feita na tribuna pode gerar reações jurídicas pela prefeitura. “Mas acho que isso é uma coisa muito pequena. Temos que focar em ações que tragam o resultado para o nosso município, que já sofreu tanto na mão de quem usa do expediente do vitimismo, da fofoca”.

Leia a nota de repúdio da Câmara

Rechaçamos todo tipo de violência contra as mulheres e consideramos que a violência política e o machismo são as ferramentas que mais impedem que as mulheres alcancem os espaços de poder e decisão. Esse tipo de agressão mostra a face da violência que, diariamente, as mulheres sofrem ao ingressar nos espaços de poder.

Dessa forma estes vereadores e vereadora manifestam sua solidariedade à Vereadora Nádia Tasso Lima, integrante dessa Casa. Repudiamos qualquer tipo de violência contra as mulheres.

Nos solidarizamos, como parlamentares em defesa de suas prerrogativas e exigimos decoro e respeito com todos os poderes constituídos.  Todo gestor público deve honrar com princípios basilares do ordenamento público. Entre eles os princípios da moralidade e legalidade. 

Devendo sempre buscar pela cordialidade e respeito entre os poderes. É inadmissível qualquer tentativa de interferência no voto e no livre consentimento do parlamentar. 

Por fim, repudiamos atos antidemocráticos, preconceituosos e machistas, bem como o desrespeito com as prerrogativas inerentes ao Vereador. Neste contexto o respeito a todas as pessoas que sofrem com qualquer distúrbio mental ou dificuldade intelectual que se sentiu ofendida também, com falas produzidas de forma vexatória em face da parlamentar.

Notícias relacionadas