Quase 30 baleias são avistadas em sobrevoo de monitoramento

Desse total, nove eram pares de fêmeas com filhote e três cetáceos adultos.
Carolina Bezamat/Porto de Imbituba/Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,408 visualizações,  8 views today

Primeiro monitoramento aéreo realizado pela SC Par Porto de Imbituba resultou na visualização de 29 baleias, sendo 21 francas (E. australis) e oito jubartes (M. novaengliae), entre as praias de Ribanceira e Itapirubá, já no limite entre Imbituba e Laguna. Desse total, nove eram pares de fêmeas com filhote e três cetáceos adultos. Uma toninha (P. blainvillei) também foi vista.

A observação ocorre ao longo da costa que compreende a região da Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, que do Sul de Florianópolis ao litoral de Torres, no Rio Grande do Sul. A ação faz parte do Programa de Monitoramento de Cetáceos da empresa portuária com suporte da Acquaplan.

“A quantidade de indivíduos avistados é muito positiva, visto que ainda estamos no início da temporada das baleias-francas em Santa Catarina”, diz o coordenador técnico Gilberto Ougo.

A equipe é formada por três biólogos e um oceanógrafo. Eles fotografam e fazem o registro da localização dos cetáceos para um censo da espécie. As imagens são usadas para a identificação dos
indivíduos adultos, que só é possível através de calosidades que as francas possuem sobre a cabeça, únicas em cada indivíduo, como se fosse uma impressão digital.

No sobrevoo, a presença de jubartes na região foi um detalhe que chamou a atenção da equipe. “As jubartes são mais comuns entre os estados do Espírito Santo e da Bahia, onde encontram águas quentes e protegidas para a criação dos seus filhotes. No entanto, nas últimas temporadas foram registradas avistamentos dessa espécie em outros estados, como São Paulo, Paraná e aqui em Santa Catarina”, explica Ougo.

Agora, o próximo sobrevoo do programa de monitoramento será em setembro, quando o número de baleias deve crescer. A última observação será em novembro, no fim da temporada.