Município pode rever o contrato da coleta de lixo, diz prefeito

Foto: André Luiz/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 720 visualizações,  12 views today

O prefeito de Laguna, Samir Ahmad (PSL), determinou ao setor jurídico da prefeitura que promova uma análise minuciosa no edital publicado pela gestão anterior para a contratação da concessionária do serviço de coleta de lixo. No começo da semana, a Sanetran Saneamento assumiu a função, porém, houve críticas dos moradores. A empresa pediu “compreensão da população” e alega que houve divergências entre o edital e a realidade municipal.

Ahmad afirma que as críticas são normais dado o período em que a antiga contratada permaneceu na cidade e “que realmente prestava um belíssimo trabalho”. Porém, ressalva, que a nova empresa por estar chegando agora na cidade ainda não conhece totalmente a realidade do município.

“Algumas ruas ainda não têm nomes, não existe definição dos bairros de forma correta, sobre onde começa um e termina o outro. São entraves que a empresa está se adaptando e buscando alternativas. O que não falta é empenho e trabalho, tanto nosso do poder público, quanto da empresa”, ameniza o prefeito. A fala do chefe do Executivo corrobora com a versão apresentada pelo diretor de Operações da Sanetran, Luiz Afonso, em entrevista a Agora Laguna na última terça-feira, 2. Veja aqui.

Ahmad diz que a prefeitura está em contato direto com a concessionária visando auxiliá-los na execução do serviço de uma forma mais agradável à população, mas admite que há uma possibilidade de o contrato ser desfeito. A análise iniciada pelo jurídico é que poderá definir isso, se forem detectados vícios no processo do edital.

“É uma licitação feita pela gestão anterior à nossa. Existem pontos que não correspondem com a realidade que estamos acostumados. Ou seja, a concessionário que hoje está seguindo o edital, alega que a empresa anterior que estava prestando o serviço fazia um pouco mais do que havia licitado. E nós queremos o mesmo serviço, ou melhor”, pontua o prefeito. “Estamos discutindo. Vamos rever o contrato para nós definirmos se realmente essa licitação serve para nossa cidade. Se é isso mesmo que Laguna precisa”.

Reuniões entre a empresa e o setor jurídico devem ocorrer nos próximos dias para discussão do assunto. A possibilidade de chamar a segunda contratada em uma eventual rescisão já é descartada. Isso porque se houver vício no edital, as empresas que participaram do certame teriam de segui-lo e, por sua vez, iriam acabar na mesma situação. “Vamos buscar meios jurídicos para trazer o que de melhor tem para os munícipes. Iremos acionar todos os mecanismos para garantir um serviço de qualidade”, frisa Ahmad. A previsão é que essa análise esteja concluída na próxima semana.

Contraponto

Portal entrou em contato com a Comissão de Licitação da prefeitura de Laguna para buscar detalhes sobre o edital do ano passado e também com a nova empresa visando ter seu posicionamento. Ate às 15h30, nenhum dos questionamentos havia sido respondido. Se houver manifestação, o conteúdo será atualizado.

Notícias relacionadas