Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom-SC

Pela primeira vez em três meses, Santa Catarina não tem regiões de saúde em estado gravíssimo para a contaminação pelo novo coronavírus. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 24, a partir da avaliação da matriz de risco criada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Esse é o melhor patamar desde junho, mês em que iniciaram as avaliações.

A classificação da Amurel, que já chegou a ser gravíssima, se manteve novamente em estado grave. A única alteração foi com relação ao Nordeste de Santa Catarina que foi reclassificada do estado gravíssimo para grave. De acordo com o mapa, o Extremo Oeste é a única região classificada como risco alto (cor amarela) e as demais seguem na condição de risco grave (laranja).

“Isso não significa que a pandemia acabou, pelo contrário. Temos que continuar com as ações recomendadas e lembrando que questões como o distanciamento e o isolamento dos casos são fundamentais para que as as regiões, que hoje estão em estado grave possam avançar nesse enfrentamento”, ressalta o secretário da Saúde, André Motta Ribeiro.

Na avaliação do governo, o cenário é resultado das dimensões relacionadas à taxa de isolamento social e de isolamento dos casos foram as que mais contribuíram para o atual panorama. A matriz de risco também considerou a ampliação de leitos e de reorganização de fluxos assistenciais.

Divulgação