Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Está em Laguna, desde o início da semana passada, uma das Fiat Toro compradas pelo governo do Estado para ser utilizadas pela Coordenadoria Regional de Educação. A aquisição de 62 unidades deste modelo se tornou alvo de críticas após o deputado estadual Bruno Souza (NOVO) ter apontado que a compra foi “desnecessária”. O modelo Toro é avaliado em R$ 120 mil.

O coordenador regional de Educação em Laguna, Danilo Prudêncio da Costa, discorda da opinião do parlamentar. “É um suporte muito importante para que a gente possa dar atenção em todos os sentidos, haja visto que a nossa coordenadoria, por exemplo, abrange seis municípios. São justamente para atender as unidades regionais, e será de bom proveito e uso para a comunidade escolar”, comenta.

A fala do educador segue o discurso adotado pela Secretaria de Estado da Educação (SED) para justificar a compra. A pasta alega que havia necessidade de substituir a frota veicular sucateada herdada pela atual gestão estadual. “Eles permitirão à SED tirar automóveis de circulação que já não se encontram em condições de trafegar, consumindo recursos e oferecendo risco aos servidores”, explicou a secretaria, em nota. Ao todo, o investimento foi de R$ 7.711.800.

Souza rebate e aponta que o argumento não é válido. “É uma compra imoral. Muitas escolas não têm o básico, falta às vezes alguma coisa escola. Por exemplo, escolas que eu visito que não têm ventilador pois falta fio, e se ligar queima o ventilador”, diz o parlamentar. Os automóveis são zero quilômetro, têm tração 4×4 e são equipados com tecnologias como ar condicionado, além de serem movidos à diesel.

A secretaria comprou também outros dois carros modelo Jeep Renegade, com valor de R$ 135.900,00. A justificativa é que eles vão substituir os veículos alugados que são usados pelo secretário e o adjunto da pasta. “Por que não poderia ser um carro mais barato, de R$ 60… 70 mil?”, questiona.

Na visão do deputado, os veículos vão servir para uso apenas do coordenador, sem benefício à comunidade em geral. “No momento que o Estado tá precisando de recurso para fechar as contas, não faz sentido para mim”, critica.

Na nota veiculada à imprensa, a SED aponta, ainda, que a compra foi feita para “oferecer condições para que os responsáveis pela educação nos auxiliem a dar respostas mais rápidas para as escolas. A ação é a de uma gestão responsável, que prima pelo bom investimento dos recursos públicos”.

Em outro ponto, a pasta afirma que optou pelos modelos 4×4 para permitir acesso eficiente a escolas do interior onde as condições de tráfego são mais difíceis. Souza não aceita a afirmação e devolve: “Só se você aceitar que todas escolas têm acesso complicado. Uma ou duas, ok! Agora, carro de luxo para Florianópolis, São José… não faz sentido”.

O deputado do NOVO diz também que levou o caso à tribuna e que denunciou ao Ministério Público a situação por entender que a aquisição ocorreu de modo irregular. Outros carros do modelo Toro foram comprados – 21, que se somariam aos outros 62 do mesmo modelo –, mas não chegaram, o que levou a SED a abrir mão da aquisição.

Leia íntegra da nota da Secretaria de Educação

Após o diagnóstico de uma frota sucateada, obtido pela SED em 2019, com unidades que nem mesmo possuíam veículos para atuar junto às 1071 escolas estaduais, o Governo do Estado investiu na compra de automóveis para o atendimento pedagógico, de supervisão e de suporte tecnológico nas 36 Coordenadorias Regionais de Educação.

A escolha foi por um modelo de veículo com todas as especificações necessárias para que a gestão se faça presente na escola em qualquer localidade do Estado, uma premissa deste governo. Assim, foram adquiridos automóveis zero quilômetro, para a segurança dos servidores e pelo fim de frequentes gastos com reparos paliativos.

Os veículos a diesel têm vida útil prolongada, combinam espaço de carga e a cabine apropriada para o transporte de equipes. Além disso, a função 4×4 atende da melhor forma possível o acesso aos mais diversos terrenos pelo interior. Da mesma maneira, o modelo oferta segurança em distâncias que chegam a 170 km entre coordenadorias e escolas, realidade referendada por quem conhece a rede estadual de ensino de Santa Catarina.

Os 62 automóveis Fiat Toro estão em fase de plotagem e finalização do emplacamento para a entrega nos próximos dias às coordenadorias. Eles permitirão à SED tirar automóveis de circulação que já não se encontram em condições de trafegar, consumindo recursos e oferecendo risco aos servidores. Outros dois veículos Jeep Renegade, com valor unitário de R$ 135.900,00, foram adquiridos para substituir os carros que são atualmente locados para uso do secretário e do secretário adjunto.

Para cobrarmos resultados, precisamos oferecer condições para que os responsáveis pela educação nos auxiliem a dar respostas mais rápidas para as escolas. A ação é a de uma gestão responsável, que prima pelo bom investimento dos recursos públicos.