Pré-carnaval: Confira os sambas-enredos das escolas de Laguna

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 168 visualizações,  4 views today

O pré-carnaval de Laguna está programado para acontecer até dia 24 de fevereiro, com o desfile das cinco escolas de samba da cidade: Brinca Quem Pode, Os Democratas, Mocidade Independente, Vila Isabel e Xavante, conforme cronograma divulgado recentemente pela organização do evento.

Ao longo das últimas semanas, as baterias das agremiações vêm ensaiando exaustivamente os samba-enredos que animarão o público. A expectativa é que a plateia lote, a exemplo do ano passado, a rua Conselheiro Jerônimo Coelho, no Centro Histórico, e também a avenida Senador Galotti, no Mar Grosso, onde as escolas se apresentam no dia 08.

Confira as composições que serão apresentadas:

Brinca Quem Pode – A escola do povo

Fundada em 1947, pela família Reis (Baeta), na histórica Roseta, atual bairro Progresso, a Brinca Quem Pode, surgiu como ala dos antigos clubes carnavalescos que se apresentavam nos tempos do Carnaval de salão.

A escola, em 2019, resgatou o samba-enredo de 2006, O mar, misterioso mar, composição de Alexandre Fortes e do saudoso André Reis. Acompanhe a letra:

Eu quero ver o caldeirão ferver
Brinca Quem Pode é um mar de sedução
É garra, é força
Minha água é tradição…
 
Naveguei…
Em busca de tesouros
E encontrei
Na imensidão azul do mar
Mistérios, lendas e criaturas
Dessa vida, faço meu carnaval
Fonte de energia colossal
Atlântida, onde estarás que não te vejo?
Não escondo o meu desejo
De poder te avistar
Netuno, senhor do mar
Agita a onda e me ensina a navegar
 
O mar vermelho e branco vem
Com a proteção dos orixás
Jogo flores para a princesa do mar
Janaína, filha santa de Iemanjá
 
Serpentes e dragões eu avistei
Pelo canto da sereia me encantei
Sou marujo, dos mares sou o rei
Por Náiada eu me apaixonei
Planeta Água, mergulho em seus encantos
Hoje bebo da fonte da vida
Vem, Laguna, navegar nessa avenida!
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna
Os Democratas – A super-campeã

Com mais de sessenta anos de tradição carnavalesca, a Os Democratas é considerada a super-campeã do Carnaval lagunense. Para este ano, o samba-enredo será: Japão, a terra do sol nascente. A composição é de Marcus Paulino Teixeira, que a interpreta junto de Ângela Carvalho, Edgar Ribeiro e Paulo Geraldo Jr. Fique de olho na letra para cantar com a escola:

Abram as cortinas: Kabuki vai passar irreverente
Hoje eu vou brilhar mais forte, na terra do sol nascente
 
Vem viajar,
Trazendo o que couber no coração
Nesse cenário a ornamentar
Toda magia e a beleza do Japão
Terra prometida, sonho ou ilusão
Arte de contemplar a vida
Um berço de costume e tradição
No esplendor do império a cultura alimenta
Simboliza a sorte e a proteção
Arte de competir, reforçando a colheita
Com a força da semente e o fogo do dragão
No olhar da gueixa, a gentileza e a certeza
Que a arte é delicada, é perfeição
 
Samurai no tambor ôôôô
A espada é a baqueta na pressão
A mil graus já chegou
Pra defender meu pavilhão
 
A força na religiosidade
Teatro, emoção e intensidade
A expressão na escrita, caráter e meditação
“Shodo” vai muito além da comunicação
Do alimento à longevidade
Comer pelo prazer e o bem estar
Macarrão e sushi conquistam a humanidade
Até o samba vai se esbaldar
Heróis de animes e mangás saltam pra tela a encantar
Um sonho lindo infantil. quem nunca viu?
País da tecnologia, inteligência que arrepia
E Os Democratas vem mostrar que o Brasil também é seu lar
Foto: Fernando Carlos/Agora Laguna
Mocidade Independente – A mais jovem

Caçula dentre as cinco agremiações, a Mocidade, inspirada na escola de Padre Miguel do Rio, tem seu reduto conhecido como “ninho da serpente” no bairro Progresso. E para 2019, a verde e branco traz uma composição de sua ala criativa que fala sobre a lua.

Intitulado Sua Majestade a lua, seus encantos, mistérios e magias, a letra é a seguinte:
No esplendor da Bateria eu vou
Eu vou eu vou (BIS)
De verde e branco amor
Com alegria
 
Ó lua…
Ó lua, ó lua
Vem me enfeitiçar
Nesta noite de magia
A alegria vai contagiar
 
Ó meu São Jorge…
Ó meu São Jorge guerreiro
Foi o primeiro que me enfeitiçou
 
Deusa no céu, Lua no mar
A vida que surge desse seu brilhar
 
E o luar clareia a passarela
E a Mocidade agitando a galera   (BIS)
 
Misteriosa…
Misteriosa é ela
Tão fascinante faz o homem viajar
Com seus encantos místicos
Sua influência é popular
 
Espelhando o mundo
Refletindo a vida
E no sonho encantado
A lua é… dos namorados!
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna
Vila Isabel – A internacional

Conhecida por sua aventura algumas décadas atrás na Argentina, a Vila Isabel, fundada em 1958, é uma das mais tradicionais escolas da cidade e está se renovando a cada ano. Mas a agremiação se atualiza, sem esquecer das figuras que fizeram parte de sua história.

O samba de 2019, criado por Ademir Roque, Gelson Luiz Pacheco e Guilherme Mina, homenageia o puxador Helinho da Vila, que “pendurou as chuteiras” seis anos atrás quando fez o último desfile pela escola do morro. Siga a letra e cante com a Vila:
Ainda menino no morro chegou
Foi assim que iniciou
Seus primeiros passos de sambista
Na escola de samba que surgia
Com prazer e ousadia
 
Foi passista e ritmista
Mas o talento imperou
E sua voz n’avenida ecoou
 
Helinho é show, na Vila provou
Nos dando um banho de felicidade
E nas volta que a terra dá – Obá – 
Volta, vem matar nossa saudade
 
E, nas estradas da vida
Com a Vila querida
Tornou-se internacional
Dançou milongas, bailou o Tango
Na Argentina fez um carnaval
Dia e noite, noite e dia, boêmia
Cantando samba era tudo o que queria
Com os orixás na proteção
A saideira já está na mão
 
Se recordar é viver, a Vila vem mostrar para você
Mas a cidade se encantou
Quando a Vila aqui chegou
Isso são coisas da vida
Quem diria, que maravilha
Um carrossel de ilusões
Ao esplendor da alegria
 
Lá ia laiá, Lá ia laiá, Lá ia laiá, Lá ia laiá,
Lá ia laiá, Lá ia laiá, Lá ia laiá, Lá ia laiá,
Lá ia laiá, Lá ia laiá, Lá ia laiá, Lá ia laiá,
Ô, ô, ô
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna
Xavante – A pioneira

No ano do seu 73º aniversário, a taba xavantina leva para a passarela do samba uma composição recuperada – assim como a Brinca vai fazer – dos arquivos da bateria ousada. Executado na década de 90, o samba-enredo A colonização de Santa Catarina vai falar dos povos que formaram o território catarinense.

A letra é de autoria de Jairo Soares e será interpretada pelos puxadores Bruno Pacheco, Emerson Diecks e Juca Fortes. Siga a composição e cante com a Xavante:
Quando o sol, beija o mar
Minha mente ilumina
Vejo a colonização de Santa Catarina
Um dia a caravela chegou e no porto atracou
A imigração com muito amor
A mistura de raças começou 
 
Tem batuque, tem capoeira 
O canto negro em volta da fogueira
 
Reluziu como um brilho de esperança 
A arte e a cultura
Em forma de canto e dança 
Modos e costumes diferentes
Vindo de outros continentes
Ascende a chama de um novo ideal
Isso é história, hoje tudo é carnaval
 
Eu sou Xavante 
E o povão se manifesta
Aguenta coração
Que Laguna está em festa
Foto: Fernando Carlos/Agora Laguna

[td_smart_list_end]


O evento é organizado pela Liga Independente das Escolas de Samba de Laguna (Liesla) e tem transmissão ao vivo pelas páginas do Portal Agora Laguna e Rádio Difusora de Laguna.

Atualizado às 23h50, de 05/02/2019.

Notícias relacionadas