Previous
Next

Equipe médica pode paralisar atividades caso repasses municipais não sejam regularizados, diz nota do hospital

O documento, que pode ser lido na íntegra no final do texto, diz ainda que o hospital ainda não recebeu em sua totalidade os repasses municipais atrasados e que "há pressão por parte dos profissionais, que estão com seus valores atrasados".
Foto: André Luiz/Agora Laguna
Previous
Next

Em nota divulgada à imprensa no final da tarde desta quarta-feira, 31, o Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos afirma que profissionais médicos podem paralisar as atividades caso os repasses municipais não sejam regularizados.

O documento, que pode ser lido na íntegra no final do texto, diz ainda que o hospital ainda não recebeu em sua totalidade os repasses municipais atrasados e que “há pressão por parte dos profissionais, que estão com seus valores atrasados”.

Há ainda a preocupação com a proximidade do Carnaval, quando os atendimentos aumentam de forma considerável na casa hospitalar.

Leia a nota

O Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos vem à público para esclarecer sobre os repasses municipais.

O hospital não recebeu em sua totalidade os repasses municipais atrasados.

Ainda há pressão por parte dos profissionais, que estão com seus valores atrasados.

Com a proximidade do carnaval, onde há um aumento considerável no número de atendimentos, ter uma retomada das negociações com os profissionais médicos é extremamente preocupante.

Alguns cogitam pedir desligamento e, considerando a falta de regularidade de pagamentos, a contratação de novos profissionais fica comprometida.

Fomos notificados pela equipe médica que não havendo a quitação dos valores e o retorno da regularização dos pagamentos mensais, haverá paralisação dos profissionais, que já notificaram inclusive o Ministério Público sobre a intenção.

Encontram-se em atraso o valor no montante de R$ 283.971,13 (duzentos e oitenta e três mil novecentos e setenta e um reais e treze centavos) correspondente ao valor mensal destinado a emergência e sobreavisos e a primeira parcela do extra referente ao verão, que deveria ter sido recebido até 20 de janeiro.

Mais uma vez, solicitamos aos gestores públicos que priorizem a saúde e entendam a necessidade do repasse regular para a manutenção de bons profissionais e de um serviço de qualidade para toda a população.

Atenciosamente,
Conselho Deliberativo do Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos

Previous
Next
Previous
Next