Previous
Next

Ponta da Barra recebe ‘I Feira da Pesca Artesanal de Laguna’, neste sábado

A entrada na feira é gratuita para todas as comunidades pesqueiras e também para outros  moradores e turistas que estiverem pela região. Entre as principais atrações previstas no evento destacam-se apresentações musicais, oficinas sobre a comercialização do pescado, rodas de conversa, exposições de artesanatos com escama de peixe e renda de bilro, além de competições de abertura de tarrafa de 30m, lançamento de garatéia, entre outras atividades relacionadas ao modo de vida dos pescadores e pescadoras artesanais.
Foto: André Luiz/Agora Laguna
Previous
Next

Acontece no próximo sábado, 9, na praça da Ponta da Barra, a I Feira da Pesca Artesanal de Laguna. O evento ocorre das 11h às 19h.

A feira tem como objetivo divulgar a pesca artesanal, apresentar as artes de pesca da lagoa e do mar, além de valorizar os produtos da pesca, a gastronomia e fortalecer a cultura das populações tradicionais em um dos principais polos pesqueiros de Santa Catarina. 

O evento faz parte das atividades de fechamento do projeto “Diagnóstico e Automonitoramento da Pesca Artesanal na Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca (APABF): subsídios para a cadeia produtiva de pescados”, documento que será lançado em breve pela Unidade de Conservação.

A entrada na feira é gratuita para todas as comunidades pesqueiras e também para outros  moradores e turistas que estiverem pela região. Entre as principais atrações previstas no evento destacam-se apresentações musicais, oficinas sobre a comercialização do pescado, rodas de conversa, exposições de artesanatos com escama de peixe e renda de bilro, além de competições de abertura de tarrafa de 30m, lançamento de garatéia, entre outras atividades relacionadas ao modo de vida dos pescadores e pescadoras artesanais.

A iniciativa conta com a realização da Apa da Baleia Franca em parceria com  a Secretaria de Pesca e Agricultura de Laguna, Associação de Moradores da Ponta da Barra, Conselho Pastoral dos Pescadores (CPP), Sindipesca de Laguna, Colônia de Pescadores Z 14 de Laguna, Unisul, Udesc,  Alesc, Confrem, com o apoio do Projeto Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas (GEF-Mar).

“Precisamos estimular o debate sobre estratégias para promover o beneficiamento do pescado e valorizar as comunidades que mantêm o conhecimento tradicional da pesca”, ressalta Rodrigo de Freitas, pesquisador da Unisul que também coordena a Câmara Técnica de Gestão da Biodiversidade na Unidade de Conservação. 

A pesca artesanal é responsável por cerca de 45% da produção de pescado do estado de Santa Catarina. Os municípios de Laguna e Jaguaruna trazem uma importância significativa na pesca regional, abrigando em seus limites a barra do Camacho. De acordo com dados apresentados pelo Projeto de Monitoramento da Atividade Pesqueira (PMAP) neste ano, e que vêm sendo sistematizados pelo projeto “Diagnóstico e Automonitoramento da Pesca Artesanal” na região, estima-se que as capturas da pesca artesanal de Laguna (14%) e Jaguaruna (3,4%), representam aproximadamente 17% do total capturado no estado entre os anos 2017 e 2022. 

Divulgação

Pesca e conservação marinha costeira

Com quase metade de sua área dentro da zona de recursos pesqueiros, a APA da Baleia Franca (APABF) é, acima de tudo, um grande território para a gestão da pesca, com importantes comunidades pesqueiras, entre elas, as das lagoas de Santa Marta e do Farol de Santa Marta.  

Fortalecer a gestão pesqueira das comunidades tradicionais de pesca é um dos objetivos previstos no Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca, documento que define o uso do território.

O pescador que vive e tira o seu sustento  no território da unidade de conservação é extremamente importante para uma boa gestão desse espaço protegido. 

 

O projeto de Automonitoramento da Pesca, como parte das ações sugeridas no Plano de Manejo, surgiu para organizar e planejar coletivamente a gestão pesqueira para que as comunidades que sobrevivem desse setor continuem usufruindo do território de forma sustentável e possam manter os estoques de pescado e promover a melhoria da qualidade de vida das famílias que vivem da pesca artesanal. 

Previous
Next
Previous
Next