Rede Feminina aposta em brechó para reforçar caixa e manter atendimentos

Nos outros dez períodos do ano, as guerreiras têm de lançar mão da criatividade para buscar recursos. No momento, o foco principal está no brechó, aberto de segunda à sexta, das 14h às 17h, com peças com valores variados e com renda totalmente revertida para a manutenção da RFCC.
Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna
Previous
Next

Quando a Rede Feminina de Laguna começou a atender pacientes na luta contra o câncer, nos primeiros anos da década de 1980, o Brasil ainda tinha como moeda o cruzeiro. Quatro décadas depois, a moeda é o real, mas a batalha é a mesma: manter os atendimentos e o apoio mesmo diante das dificuldades financeiras. Há pouco mais de duas semana, a sede da entidade foi visitada duas vezes por criminosos, que levaram dinheiro e objetos do local, e gêneros alimentícios – e foi preciso investir em mais segurança para o imóvel.

Gastos extras como esse alteram as contas que a entidade faz todo mês para se manter na ativa. Além do chamado dinheiro carimbado, que são verbas públicas destinadas pelo governo estadual ou municipal ou por emendas parlamentares com fim específico de uso, a entidade costuma vender camisetas temáticas do Outubro Rosa e Novembro Azul, meses em que a prevenção ao câncer de mama (mulheres) e próstata (homens) têm sua divulgação massificada e ampliada.

Todavia, isso se restringe àqueles meses específicos. Nos outros dez períodos do ano, as guerreiras têm de lançar mão da criatividade para buscar recursos. No momento, o foco principal está no brechó, aberto de segunda a sexta, no imóvel ao lado da igreja matriz, no Centro, das 14h às 17h, com peças com valores variados e com renda totalmente revertida para a manutenção da RFCC.

Atualmente, 88 pacientes são atendidos no local. “A gente os ajuda com cesta básica, lanche quando vai fazer um tratamento fora da cidade, alguns exames que demoram muito nós pagamos”, descreve a nova presidente da entidade, Cleci Ponciano Costa. O brechó aceita doações, mas a coleta, nesse momento está suspensa. A Rede Feminina quer primeiro vender o estoque atual para poder receber mais donativos e pôr à disposição dos interessados em adquirir.

Previous
Next

Notícias relacionadas

Previous
Next