Buscas recomeçam: ‘Acreditamos que ainda tenha chance de vir à superfície’, diz comandante

A operação, diferente dos outros dias, não vai contar com o emprego da Resgate-3, embarcação dos bombeiros, que está no mar desde o início das buscas. A decisão considera as dificuldades de operá-la com os fortes ventos e água em baixa temperatura, o que a torna ineficaz. "Vamos seguir com o pessoal nos costões, na orla das praias, moto aquática e aeronave", explica o tenente Henrique Schuelter, comandante do CBM de Laguna.
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) recomeçou as buscas pelo jovem Michel Barbosa, 25 anos, desaparecido há mais de uma semana desde o naufrágio de uma lancha na entrada do canal de navegação da Barra.

A operação, diferente dos outros dias, não vai contar com o emprego da Resgate-3, embarcação dos bombeiros, que está no mar desde o início das buscas. A decisão considera as dificuldades de operá-la com os fortes ventos e água em baixa temperatura, o que a torna ineficaz. “Vamos seguir com o pessoal nos costões, na orla das praias, moto aquática e aeronave”, explica o tenente Henrique Schuelter, comandante do CBM de Laguna.

As buscas já alcançam Jaguaruna, no Sul, e Garopaba, mais ao Norte. A faixa litorânea tem sido varrida diariamente pela força-tarefa. Nos últimos dias, os trabalhos se concentram nos costões e ilhas da região. “As condições de corrente e temperatura de água nos faz acreditar que ainda tenha chance dessa vítima estar na região e vir à superfície. Óbvio que a cada dia que passa, essa chance vai ficando menor. Mas a gente ainda acredita e enquanto isso for o Norte, vamos seguir buscando”, esclarece o comandante. Quando a possibilidade reduzir a um nível menor ou não houver mais chance, a operação será reavaliada.

Acidente

O acidente de sexta-feira, 14, ocorreu na entrada do canal de navegação da barra. A lancha era ocupada por sete pessoas, todas de Caçador, e veio à pique por volta das 15h. Quatro foram socorridas com vida. Ricardo Barbosa, 46, vereador, e mais um amigo, Deyvid Fernandes, 29 anos, estavam com alto grau de afogamento e inconscientes. Os socorristas do Corpo de Bombeiros fizeram manobras de reanimação, mas os dois não resistiram.

A Capitania dos Portos em Laguna informou, em nota, que um inquérito administrativo foi instaurado para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades do acidente. As apurações devem durar ao menos 90 dias, conforme os padrões da corporação militar. As causas do acidente ainda não foram confirmadas de forma oficial. A Polícia Civil abriu uma investigação.

Notícias relacionadas