Alunos de Laguna e Pescaria Brava terão aulas através de nova TV educativa

Projeto pode ser considerado uma evolução das aulas virtuais, adotadas durante a suspensão das atividades presenciais das escolas por força da pandemia do novo coronavírus. Foco são alunos da rede estadual de ensino, mas conteúdos podem ser acompanhados por estudantes municipais.
Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 1,632 visualizações,  4 views today

Anunciado na última quarta-feira, 11, o projeto estadual que cria dois canais digitais de televisão educativa em Santa Catarina começa a sair do papel, nesta segunda-feira, 16. A emissora voltada aos estudantes da rede pública estadual e municipal já pode ser sintonizada nos canais virtuais 7.2 e 7.3, em Laguna e Pescaria Brava.

A iniciativa foi apresentada junto de um pacote de novas medidas educacionais, que incluem o novo Ensino Médio, para os alunos de Santa Catarina. O canal Educa SC é baseado no projeto pioneiro desenvolvido no estado do Amazonas, onde o governo local utilizou a estrutura de sua emissora pública para direcionar conteúdos educativos para os estudantes durante a pandemia. A equipe amazonense auxilia os profissionais catarinenses na educação do projeto.

Para implantar a nova TV educativa, o governo do Estado vai usar um benefício do sistema digital de transmissão: a multiprogramação. As emissoras catarinenses iniciaram em 2018 a conversão do sistema analógico para o digital e os canais não comerciais têm a possibilidade de colocar até três “subcanais” além da transmissão principal (entenda no fim do texto).

Em Santa Catarina, como não há emissora de TV pública de sinal aberto e digital com alcance estadual, o projeto será levado ao ar através dos canais da NDTV em Florianópolis, Criciúma, Joinville, Xanxerê, Chapecó, Blumenau e Itajaí, bem como as estações repetidoras da rede. Na região, uma iniciativa semelhante foi levada ao ar pela Unisul TV, voltada aos estudantes do Colégio Dehon, em Tubarão.

De acordo com o governo estadual, o Educa SC terá transmissão durante o dia inteiro e um portal na internet (educasc.com.br) para complementar as informações. O projeto pode ser considerado uma evolução das aulas virtuais, adotadas durante a suspensão das atividades presenciais das escolas por força da pandemia do novo coronavírus e também funciona como uma extensão das aulas presenciais.

“É preciso olhar para o aluno que não tem computador, não tem um celular, que durante todo o ano passado fez apenas exercícios que chegavam em casa”, justifica o secretário de Educação, Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro.

Como será a programação

O canal Educa SC 7.2 transmitirá as aulas para os estudantes do 1º ao 7º ano do ensino fundamental. E o Educa SC 7.3 terá conteúdos voltados aos estudantes de 8º e 9º do fundamental, e de 1º a 3º do ensino médio.

As aulas têm duração que variam de 20 a 30 minutos. Já que a programação é aberta e caso seja interessante ao estudante, ele deve conferir a grade de aulas para ficar atento aos conteúdos que precisa acompanhar.

As videoaulas serão gravadas e disponibilizadas no portal no dia seguinte à exibição. Durante a manhã serão transmitidas aulas inéditas e no restante do dia, irão ao ar as reprises.

A grade de programas desta semana, com horários e conteúdos para cada série, pode ser acessada neste link. O material de apoio e publicações interativas sobre educação são acessados no portal do canal educativo.

Presença registrada

No início, meio e fim de cada aula transmitida será exibido um código QR que deve ser ‘escaneado’ através da câmera do celular. Ao ser reconhecido, o código irá direcionar os estudantes para o portal Educa SC, onde eles devem digitar a cidade, a escola, a sua matrícula e o código de validação que vai estar na tela da TV.

Cada aula terá um código próprio e os alunos têm de anotá-lo para registrar a presença. As aulas gravadas e postas no portal não contarão com o código de validação.

Multiprogramação educativa tem portaria específica para transmissão

O recurso da multiprogramação permite a exibição de quatro faixas de programação, porém, é autorizado somente para canais concedidos aos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. Em abril de 2020, diante da pandemia, o benefício foi estendido às emissoras comerciais por meio de um decreto elaborado pelo então Ministério da Ciência, Tecnologia e Comunicações e assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Essa autorização aos canais comerciais faz parte do esforço de permitir o acesso às videoaulas por mais pessoas, onde não há cobertura de emissora pública.

Previous
Next