Após descrever Laguna em áudios, projeto divulga vídeos em Libras sobre a cidade

Projeto é uma extensão do curso de Arquitetura e Urbanismo da Udesc Laguna. A ideia é fazer descrições textuais e verbais de espaços públicos, sejam eles de caráter arquitetônico, paisagístico ou urbanístico. A iniciativa traz narrativas e reflexões por voz, possibilitando que o ouvinte aproveite as informações por áudio enquanto contempla o objeto descrito, promovendo também a inclusão de pessoas com deficiência visual. Também são oferecidos vídeos em Libras, para pessoas com surdez e também a tradução para outros idiomas, através da voz de alunos estrangeiros.
Foto: André Luiz/Agora Laguna

Depois de elaborarem podcasts com explicações detalhadas sobre a cidade de Laguna, o projeto A cidade falada, desenvolvido por alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo, da Udesc, divulgou uma nova versão do conteúdo, agora voltado ao público que tem deficiência visual. Os áudios foram traduzidos pelo grupo de intérpretes em Língua Brasileira de Sinais (Libras), do Centro de Educação a Distância (Cead), da própria universidade.

Os vídeos também possuem versões para francês e italiano. O primeiro foi denominado como “Mapa Falado de Laguna” e descreve Laguna e as características físicas e geográficas, praias, bairros e edifícios. O outro (“Laguna, naturalmente bela e segura”) é uma retrospectiva histórica da cidade. O terceiro tem a Lagoa Santo Antônio dos Anjos como personagem em “Testemunho de uma lagoa“.

De acordo com a Udesc, a tradução em Libras foi realizada por Stephanie Caroline Alves Vasconcelos, do grupo de intérpretes de Libras da Udesc Cead, e coordenado pela professora Natália Schleder Rigo. Já o conteúdo “Aspectos Naturais no Pôr do Sol na Lagoa Santo Antônio dos Anjos” teve tradução italiana feita pela Gloria Fort, de nacionalidade italiana, e para o idioma francês pela aluna Kassira Soule, de nacionalidade africana.

A cidade falada

O projeto é uma extensão do curso de Arquitetura e Urbanismo da Udesc Laguna. A ideia é fazer descrições textuais e verbais de espaços públicos, sejam eles de caráter arquitetônico, paisagístico ou urbanístico. A iniciativa traz narrativas e reflexões por voz, possibilitando que o ouvinte aproveite as informações por áudio enquanto contempla o objeto descrito, promovendo também a inclusão de pessoas com deficiência visual. Também são oferecidos vídeos em Libras, para pessoas com surdez e também a tradução para outros idiomas, através da voz de alunos estrangeiros.