Encerradas as convenções partidárias, Pescaria Brava já conhece seus candidatos a prefeito. O Portal Agora Laguna apresenta essa relação, trazendo a biografia com a trajetória dos nomes que se colocaram à disposição do eleitorado para a disputa de novembro.

Ao todo, serão dois candidatos a prefeito – pela primeira vez em oito anos não haverá três chapas. Dos nomes apresentados, todos têm experiência política, com mais de quatro eleições disputadas em sua trajetória política.

Já para vice-prefeito, o cenário é diferente. Há uma mulher disputando e que fará sua estreia política, enquanto que o segundo candidato tem experiência política com mais de três eleições disputadas. Ao menos 50 candidatos devem ser apresentado para concorrer às nove cadeiras existentes no Poder Legislativo local.

As eleições eram para acontecer em outubro, mas foram adiadas para o mês seguinte devido à pandemia. Pescaria Brava não tem segundo turno, e portanto, os eleitores irão às urnas apenas uma vez, em 15 de novembro.

Confira as chapas (organização em ordem alfabética por coligação):

  • Coligação Juntos por Pescaria Brava – PDT/PSL/PSDB/PSD: Liderada por Everaldo dos Santos (PDT), como candidato a prefeito, e por Adriana Maria Jonck (PSDB), vice, a chapa tem ao menos 28 candidatos ao Legislativo definidos (seis pelo PSL, 11 pelo PSDB e 11 pelo PDT).
  • Coligação Pescaria Brava continuando a crescer – MDB/PP: A chapa, que tenta continuar à frente da prefeitura, é liderada por Deyvisonn da Silva de Souza (MDB), como candidato a prefeito, e por Lourival de Oliveira Izidoro (PP) como vice. A dupla aliança terá 23 vereadores (11 pelo MDB e 12 pelo PP).

Conheça os candidatos a prefeito

Deyvisonn de Souza (MDB)

Atual prefeito de Pescaria Brava, Deyvisonn da Silva de Souza foi eleito para o cargo em 2016. Entrou para a vida pública em 1997, atuando no gabinete do ex-deputado federal Edson Bez (MDB) e em 2002, foi designado como subprefeito de Pescaria Brava, um órgão criado pela prefeitura de Laguna para atender a comunidade, à época um distrito da cidade.

Filiado ao MDB desde a década de 2000, ele disputou sua primeira eleição em 2004, ainda em Laguna. Naquele ano, foi eleito com a maior votação para vereador, renovando o mandato quatro anos depois, chegando a ser presidente da Câmara. Com a emancipação política de Pescaria Brava, se candidatou ao cargo de prefeito em 2012, mas não venceu.

Arquivo pessoal

Everaldo dos Santos (PDT)

Ex-servidor público, Everaldo dos Santos entrou para a política há 30 anos, se filiando ao então PMDB. Pelo partido, concorreu a vereador pela primeira vez em 1988, ficando como suplente. Se elegeu em 1992, e renovou mandato em 1996, 2004 e 2008. Também tentou uma cadeira como deputado estadual em 1998, mas ficou na suplência.

Teve breve passagem pelo PTB em 2000, mas não se elegeu vereador naquele ano e voltou para o ex-partido depois. Em 2012, concorreu a prefeito de Laguna e se elegeu com a maior votação já registrada no município desde a redemocratização do país. Sem apoio do PMDB, não foi indicado para a reeleição em 2016 e deixou a sigla um ano depois. Está filiado desde 2019 ao PDT.

Foto de arquivo: Elvis Palma

Conheça os candidatos a vice

Adriana Maria Jonck

Adriana Maria Jonck foi primeira-dama de Pescaria Brava entre 2013 e 2016 e até a desincompatibilização para as eleições, atuava como secretária parlamentar no gabinete da deputada federal Geovânia de Sá (PSDB).

Ela também foi secretária de Assistência Social no governo de Antônio Honorato. Está no PSDB de Pescaria Brava desde o ano de 2011, mas nunca disputou uma eleição política.

Divulgação/PSDB Pescaria Brava

Lourival de Oliveira Izidoro

Lourival de Oliveira Izidoro é o atual vice-prefeito de Pescaria Brava, eleito para o cargo em 2016, chegando a assumir por algumas oportunidades a cadeira titular. Ligado ao setor da agricultura e pecuária local, Izidoro entrou para a vida política em 1992.

Naquele ano, disputou a primeira eleição e venceu concorrendo pelo antigo PFL (hoje DEM) para vereador em Laguna – na época, Pescaria Brava era distrito da cidade juliana. Quatro anos depois, tentou um novo mandato, mas ficou como suplente também pela mesma legenda. Foi um dos membros da comissão de emancipação do município nos anos 90.

Divulgação/PP Pescaria Brava