Foto: Rodrigo Speck/Prefeitura de Imbituba

Quarenta leitos de terapia intensiva (UTI) aguardam para serem ativados em Laguna, Imbituba, Tubarão e Braço do Norte. O assunto foi tema de reunião extraordinária dos prefeitos e secretários de Saúde das cidades que fazem parte da Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel), realizada virtualmente na quarta-feira, 6.

A Amurel enviou um ofício ao governo do Estado na última semana solicitando a implantação destes leitos e, diz a entidade, até o momento não resposta da Secretaria estadual de Saúde sobre a possível homologação das unidades através do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os chefes de Executivo concordaram em reforçar o pedido ao governo, agora, com mais com intensidade. “Não chegamos a nenhum novo leito implantado, que é o pleito principal que temos. Decidimos pelo novo ofício tendo em vista não termos recebido resposta e considerando a urgência que vivemos na nossa região com a epidemia”, frisa o presidente da Amurel e prefeito de Imbituba, Rosenvaldo Junior (PSB).

“Não houve até o momento nenhum compromisso do governo do Estado”, resume o prefeito de Laguna, Mauro Candemil (MDB). “Por enquanto a situação está sob controle, mas a preocupação continua, o Covid-19 é uma doença invisível e perigosa, e nós temos que estar preparados para que nossos hospitais estejam em situação de abrigar as pessoas que necessitarem”, pontua.

Recentemente, os prefeitos da Amurel participaram de uma videoconferência com o ex-secretário da Saúde, Helton Zeferino, e o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, para discutir o avanço da pandemia na região. Na avaliação dos prefeitos de Laguna e Pescaria Brava, além de rápido, o encontrou não foi produtivo.