Foto: Luis Claudio Abreu/Agora Laguna

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) informou ter detido uma dupla acusada de participar da emboscada que resultou na morte de dois homens na Praia do Sol, ocorrida há um mês, em 7 de março. A operação, deflagrada nesta semana, cumpriu cinco mandados de busca e apreensão e dois de prisão, e levou o nome do balneário.

Conforme as investigações policiais apontaram, as vítimas Anderson Barroso, de 23 anos, e Willian Braz, de 24, naturais de Portão (RS), pertenciam a uma organização criminosa gaúcha, que tinha divergências com outra facção catarinense.

Os dois se envolveram em um homicídio no município gaúcho em dezembro de 2019 e fugiram para Santa Catarina, se escondendo em Tubarão. Ambos eram monitorados por integrantes do grupo criminoso catarinense, que estudava e planejava o momento mais oportuno para executá-los.

A DIC cumpriu os mandados em Imbituba e Tubarão, com apoio das delegacias e Polícia Militar locais. Uma pistola 9mm foi apreendida, assim como munições de variados calibres, porções de cocaína e maconha.

Os investigados confessaram o crime. Um dos presos, morador de Imbituba, faz parte da organização criminosa catarinense, ocupando posição de relevância na facção, o que levou os policiais a fazerem sua prisão em flagrante, também, por fazer parte do grupo, posse ilegal de arma de fogo de uso restrito, tráfico de drogas e receptação.

De acordo com o delegado Bruno Fernandes, da DIC de Laguna, parte das investigações serão encaminhadas ao município de Portão, para auxiliar a Polícia Civil local em razão do homicídio, que teve o envolvimento das vítimas da Praia do Sol.

Anderson (E) e Willian (D) foram encontrados nesta manhã sem vida – Foto: Arquivo Pessoal e Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

Crime

De acordo com a DIC, os dois gaúchos com intenção de participar de uma grande venda ilegal de drogas, foram na noite de 7 de março à Praia do Sol, onde foram executados com aproximadamente nove disparos de arma de fogo de calibre .380. Os corpos foram encontrados na manhã do dia seguinte.

Os supostos fornecedores pertenciam à organização criminosa e simularam a venda para servir de emboscada. As vítimas foram levadas para uma área de difícil acesso e movimentação de pessoas, em meio à praia deserta, para serem mortas.

Um dos homens foi encontrado fora do veículo, com marcas de tiro cabeça. A vítima tem passagens pela polícia por homicídio e ocultação de cadáver.

O segundo homem morreu no banco do motorista, também alvejado com tiros. Ele seria o dono do automóvel, conforme apurou a reportagem do Portal Agora Laguna no local do crime. Algumas buchas de cocaína foram encontradas, além de munição.