Júri condena acusado de matar jovem de 19 anos por engano

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 452 visualizações,  4 views today

O Tribunal do Júri condenou o acusado de matar Daniel Roberge Junior, 19 anos, por engano na ‘praça do Villa’, no Mar Grosso. A sessão aconteceu na última quarta-feira, 29, e durou oito horas.

Junior foi executado com quatro tiros após um show nacional no dia 2 de fevereiro de 2019, na praça Nelson Moreira Netto (a praça do Villa), no Mar Grosso. M.F.V., foi detido pela Polícia Civil e apontado como o executor do crime. Ele recebeu ordens de matar outra pessoa e atirou na vítima por engano.

O Júri reconheceu a presença das três qualificadoras levantadas pela Divisão de Investigação Criminal (DIC), da Polícia Civil de Laguna, que apurou o fato: motivo torpe, recurso que tenha dificultado a defesa do ofendido e perigo comum.

M.F.V. recebeu pena de 14 anos de prisão, em regime fechado.

Entenda

Na madrugada de 2 de fevereiro de 2019, por volta das 4h30, após receber ordens de uma organização criminosa atuante em Santa Catarina, M.F.V foi da Vila Vitória até a ‘praça do Villa’, na região da rua Rene Rollin, e ficou aguardando seus comparsas trazerem a pessoa que ele deveria executar.

Ao perceber que os comparsas não tinham voltado e estavam brigando com pessoas na praça, o réu depois de ouvir gritos para que atirasse na cabeça de uma das pessoas, disparou quatro vezes contra a vítima que morreu no local.

No dia seguinte, o M.F.V soube que atirou em outra pessoa, que não era o alvo da organização. A DIC abriu inquérito ainda na madrugada e só finalizou o processo após a prisão do réu que aconteceu em São José, na Grande Florianópolis.

Notícias relacionadas