Foto: Agora Laguna

O jornalista do Portal Agora Laguna e da Rádio Difusora de Laguna, Luís Claudio Abreu, foi vítima de clonagem de Whatsapp no começo da tarde desta segunda-feira, 6. Ele está sem conseguir utilizar o aplicativo desde então.

“O WhtasApp travou e quando voltou parecia que eu havia criado uma conta nova ou instalado o aplicativo em um novo celular. Fiz os procedimentos de recuperação da conta, mas sem sucesso até o momento. Umas mensagens apareceram no celular também, antes, depois e durante o travamento”, afirma Abreu, que registrou boletim de ocorrência na delegacia de polícia.

Portal trouxe recentemente casos de lagunenses que foram vítimas de golpes semelhantes. As pessoas que clonam os números de aplicativos enviam mensagens aos contatos pedindo transferências bancárias alegando que estão precisando, assim como feito com o telefone do jornalista de Agora Laguna.

O número usado por Abreu – (48) 99827-3496 – está ativo somente para ligações e mensagens por SMS, apenas o aplicativo de mensagens WhatsApp é que foi clonado.

Polícia Civil orienta

A pedido da reportagem, o delegado de Polícia Civil de Laguna, Wilian Testoni, emitiu orientações para quem tiver o número do aplicativo clonado.

“Inicialmente, é importante o registro de boletim de ocorrência sobre o fato, indicando, inclusive, se a pessoa que teria se apropriado da conta estaria solicitando vantagens econômicas a seus contatos. Ainda, é importante informar a todos os seus contatos para que não realizem nenhum tipo de procedimento solicitado via Whatsapp, através de sua conta, informando sobre o ocorrido. Caso haja alguma transferência de valores, elas devem informar à instituição financeira que realizem o bloqueio dos valores transferidos, imediatamente”, explica Testoni.

Segundo o delegado, o usuário pode encaminhar uma mensagem para o suporte on-line do aplicativo ([email protected]) e pedir o bloqueio da conta, alegando disparo em massa de mensagens de extorsão e Spam. Em todos os casos, pode levar até 15 dias para que a conta seja recuperada.

O cliente também procurar a loja de sua operadora e requerer troca de linha ou bloqueio do número de telefone, se preferir.

Foto: Agora Laguna