Negociações sobre a exploração do estacionamento rotativo avançam após reunião

Foto: Elvis Palma/Agora Laguna
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 148 visualizações,  4 views today

Prorrogado por mais sessenta dias, o sistema de estacionamento rotativo continua sendo tema de discussões na prefeitura de Laguna. Uma reunião realizada recentemente com a direção da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), debateu oficialmente a possibilidade de a entidade assumir a gestão do serviço, à exemplo do que foi realizado em Tubarão.

A entidade beneficente terá alguns dias para estudar a possibilidade, o que já vem acontecendo, como explica Emeline Feuser Grunner, diretora da Apae. “Já era um desejo da Apae, há uns seis meses estivemos reunidos com a diretoria falando sobre essa possibilidade. Essa foi a primeira conversa com o prefeito, vamos estudar o caso e conversar novamente com a empresa, a IT2B [de São Paulo], especializada em trabalhar com o rotativo em outros estados”, destaca.

“Vamos ver as questões dos valores, qual a porcentagem que ficará com a prefeitura, Apae e da empresa, que fica responsável por todo o setor desde a contratação dos funcionários e manutenção de equipamentos”, explica a diretora.  Em Santa Catarina há pelo menos dois exemplos da gestão de estacionamento rotativo aos cuidados da mesma entidade: em Rio do Sul e mais recentemente, em Tubarão, que está em fase de implantação do serviço.

A ideia de repassar a gestão foi revelada recentemente pelo prefeito Mauro Candemil, que afirma ter outras empresas com interesse em ficar à frente do rotativo, iniciado em outubro de 2018. “Precisamos correr, pois o tempo está muito curto para encontrar uma forma de passar esse problema para uma empresa ou então fazer uma licitação pública para que uma empresa vencedora consiga alcançar os resultados que são esperados”, salienta o chefe do executivo.

O estacionamento rotativo em Laguna era um desejo antigo, principalmente por parte dos comerciantes locais. Desde sua implantação, a avaliação do sistema tem sido positiva, o que serviu como motivação para a sua prorrogação em fase piloto até janeiro de 2019. Atualmente o serviço é gratuito e tem duas horas de permanência por vaga.

Notícias relacionadas