Previous
Next

Hospedagem motivou saída de evento, diz organizador

Segundo Victor Amorim, na gravação em questão, a organização sempre foi bem recebida na cidade e pelos órgãos do poder público local, que ainda mantinha interesse na manutenção do evento aqui. "Essa não foi a principal questão, mas sim a hospedagem".

Uma gravação atribuída a um dos organizadores do Uni Spring Break (antigo Universipraias) tem circulado em grupos de aplicativos de mensagem na manhã desta quarta-feira, 5, como uma justificativa das razões que levaram o evento universitário a ser transferido para Florianópolis, capital do estado.

Há nove anos, Laguna sediava o Uni, apontado como um dos principais do gênero no país e que atraía para a cidade acadêmicos de universidades dos três estados do Sul. Nos últimos anos, uma série de ocorridos envolvendo o evento fez com que a realização se tornasse um divisor de opiniões entre quem concorda e quem discorda do mesmo.

O anúncio da mudança foi feito ontem em uma rede social. Segundo Victor Amorim, na gravação em questão, a organização sempre foi bem recebida na cidade e pelos órgãos do poder público local, que ainda mantinha interesse na manutenção do evento aqui. “Essa não foi a principal questão, mas sim a hospedagem”.

Um índice de 70% do público se hospedava em casas de aluguel e o restante usava hotéis. Houve negociação com o setor hoteleiro, mas com a outra parte não foi possível ajustar valores ou melhorar as condições para atender à demanda por hospedagem. Relato de situações de superlotação, preços elevados e até mesmo conservação precária das acomodações são citados.

Para Amorim, uma possível volta para Laguna em uma edição futura não se descarta. O foco, no momento, é organizar o evento em Florianópolis, que conta com uma população universitária estimada em 40 mil estudantes, índice que equivale à população total da cidade juliana com base no último Censo Demográfico.