Moradores gastam R$ 10 e fazem roçagem de mato em rodovia de acesso à cidade

Em março, a reportagem do Portal esteve naquela região a pedido de moradores e constatou abandono na conservação do pontilhão que passa sobre a linha férrea e na falta de roçagem.
Colaboração

Moradores que residem às margens da rodovia Francisco Fernandes Pinho (antiga SC-436), principal acesso à cidade de Laguna, cansaram de esperar por uma ação mais efetiva do poder público, independente de qual esfera, e fizeram roçagem na vida.

“Vergonheira, a pessoa paga imposto e nem o mato limpam. Tem que postar e colocar o custo para ver se a prefeitura [sic] não tem dinheiro para pagar para limpar. Foram dez reais de gasolina”, revela o morador, que pediu para não ser identificado.

Em março, a reportagem do Portal esteve naquela região a pedido de moradores e constatou abandono na conservação do pontilhão que passa sobre a linha férrea e na falta de roçagem.

A antiga SC-436 é uma rodovia estadual e não há previsão de manutenção por parte do governo catarinense, a quem pertence os direitos sobre o trecho – em parte do asfalto existem buracos e crateras que aumentaram a ponto de o desgaste revelar o antigo pavimento de paralelepípedos da década de 1960. Tão pouco há registro de movimentação pela administração municipal, que, se entender pela responsabilidade, pode requisitar autorização para efetuar trabalhos na pista, com base em decreto assinado pelo então governador João Raimundo Colombo (PSD), em 2017.