Mensageiro deflagra quinta fase e prende mais quatro

Investigação foca em um esquema de fraude em licitação, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro nos setores de coleta e destinação de lixo, de abastecimento de água e de iluminação pública em diversas regiões de Santa Catarina.
Divulgação/MPSC

Um ano após a última operação, a Mensageiro, coordenada pelos grupos de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e o Grupo Especial Anticorrupção (Geac) do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), deflagrou a quinta fase da força-tarefa.

A investigação foca em um esquema de fraude em licitação, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro nos setores de coleta e destinação de lixo, de abastecimento de água e de iluminação pública em diversas regiões de Santa Catarina.

Ao todo, nesta segunda-feira, 29, foram cumpridos quatro mandados de prisão preventiva e 19 de busca e apreensão. Um dos alvos é o ex-prefeito de Porto Belo, Emerson Stein, atualmente deputado estadual pelo MDB. O político ainda não se manifestou.

Duas cidades, uma no Vale do Itapocu e outra na região da Foz do Rio Itajaí estão no radar. Houve a prisão do prefeito de São João do Itaperiú, Clezio Fortunato (MDB), e o vice-prefeito, Jaime Antônio de Souza (PL). Uma das ordens foi cumprida em São Paulo. Antes, a Mensageiro levou à cadeira mais de uma dezena de chefes de Executivo e vices, incluindo na região da Amurel.

Notícias relacionadas