Em greve, professores protestam em Laguna

Nesta terça-feira, 30, os educadores seguiram para Florianópolis e participarão de um ato estadualizado.
Agora Laguna

Os professores da rede estadual de Laguna, que estão em greve há uma semana, realizaram na manhã de segunda-feira, 29, um protesto na praça Paulo Carneiro, no Centro Histórico. Nesta terça-feira, 30, os educadores seguiram para Florianópolis e participarão de um ato estadualizado.

“Estamos apresentando às comunidades respostas com provas das inverdades ditas pelo governo de estado. Não é partido político que está nas ruas, não é o sindicato, são os trabalhadores do estado de Santa Catarina que cansaram dos desmandos de nossos governantes e foram as ruas”, diz o professor Rudmar Corrêa, coordenador do Sinte Regional de Laguna. O ato foi pacífico.

A categoria cobra reajuste do piso salarial e a valorização da carreira, a realização de um concurso público e o direito à hora-atividade, além do fim da cobrança dos 14%. O governo cobra o fim da greve para voltar a negociar e anunciou contratação de professores temporários para preencher as aulas cujos titulares estão em paralisação. “As pautas levantadas pela categoria serão analisadas e discutidas com as secretarias de Estado da Administração e da Fazenda” e que “os professores já foram beneficiados com a ampliação do valor do vale-alimentação. Os professores aposentados também foram beneficiados com o fim da cobrança dos 14%”, informou nota recente.

Principais pautas

  • Valorização da carreira, com a aplicação do reajuste do piso salarial em todos os níveis e a descompactação da tabela salarial;
  • Revogação integral do confisco de 14% das aposentadorias;
  • Garantia de hora atividade para todos os professores dos anos iniciais e segundos professores, com a luta pela sua extensão a todos os profissionais da educação.

Notícias relacionadas