Xavante encerra projeto que ‘balançou’ cidade

Foi uma série de apresentações que contemplou todas as alas de uma escola: ritimistas de bateria, cantores, porta-bandeira e mestre-sala, rainha de bateria, passistas e violonista. A última ocorreu na quinta-feira, 14, na escola Ana Gondin, no Magalhães.
Divulgação/Xavante

Laguna balançou com o projeto desenvolvido ao longo das últimas semanas pelo pioneiro Clube Carnavalesco Xavante.

Foi uma série de apresentações que contemplou todas as alas de uma escola: ritimistas de bateria, cantores, porta-bandeira e mestre-sala, rainha de bateria, passistas e violonista. A última ocorreu na quinta-feira, 14, na escola Ana Gondin, no Magalhães.

“Nos trouxe a oportunidade de levar a cultura do carnaval de escola de samba, em específico do Xavante, que está próximo de completar 80 anos, para toda a sociedade lagunense e alunos da rede estadual de ensino. Proporcionou mostrar todos os segmentos culturais que envolvem uma escola de samba”, celebra Cristian Pavanate, mestre de bateria.

A execução ocorreu através de proposta selecionada pela Lei Paulo Gustavo. “Foi gratificante; o publico se fez presente em todos os eventos mostrando a força que tem a escola de samba Xavante”, pontua, acrescentando que entre abril e maio devem ser retomadas as atividades da oficina de percussão xavantina.

*Proposta selecionada pelo Edital Lei Paulo Gustavo LPG SC 2023 – executado com recursos do Governo Federal e Lei Paulo Gustavo de Emergência Cultural, por meio da Fundação Catarinense da Cultura.

Notícias relacionadas