Previous
Next

Em nota, prefeitura diz que exonerou servidor preso; portaria não foi encontrada, segundo DIC

Homem teria cobrado durante o ano de 2023 valores variáveis entre R$ 100 e R$ 500 de bolsistas da Frente de Trabalho, cujo pagamento é de um salário mínimo.
Foto: Luís Claudio Abreu/Agora Laguna

A prefeitura de Laguna emitiu uma nota com posicionamento em relação à prisão de um oficial de gabinete, que exercia a função de coordenador administrativo da Fundação Irmã Vera (FIC). Ele foi preso, na manhã desta sexta-feira, 9, suspeito da prática conhecida como “rachadinha”.

Segundo o texto oficial, “o município, ao tomar conhecimento dos fatos mencionados nas investigações agiu prontamente, resultando na exoneração de um servidor em dezembro de 2023”. Conforme a Divisão de Investigação Criminal, a portaria que oficializa a saída do funcionário não foi encontrada.

A nota da prefeitura também diz que “desde a exoneração, o ex-servidor não possui mais nenhum vínculo funcional ou institucional com a Prefeitura de Laguna, suas secretarias ou fundações”. “A administração municipal reafirma seu compromisso com a ética, a transparência e a integridade em todas as suas operações e atividades”, destaca o texto.

O homem teria cobrado durante o ano de 2023 valores variáveis entre R$ 100 e R$ 500 de bolsistas da Frente de Trabalho, cujo pagamento é de um salário mínimo. Armas registradas em nome do servidor foram apreendidas em razão de que há indícios de que elas teriam sido usadas em horário de serviço. A investigação ocorre em sigilo e o nome do preso não foi divulgado.

Leia a nota completa

A Prefeitura de Laguna, em relação a Operação Resiliunt, deflagrada pela Polícia Civil nesta sexta-feira, 9, vem a público esclarecer que teve ciência dos fatos relatados.

O município, ao tomar conhecimento dos fatos mencionados nas investigações agiu prontamente, resultando na exoneração de um servidor em dezembro de 2023, conforme Portaria do Rh 1510/2023. Além disso, a Prefeitura de Laguna informou as autoridades competentes sobre as ações tomadas.

Ressaltamos que desde a exoneração, o ex-servidor não possui mais nenhum vínculo funcional ou institucional com a Prefeitura de Laguna, suas secretarias ou fundações. A administração municipal reafirma seu compromisso com a ética, a transparência e a integridade em todas as suas operações e atividades.

A Prefeitura de Laguna permanece à disposição para colaborar com as investigações e reitera o comprometimento em manter a mais alta integridade em seus quadros, promovendo ações para garantir a boa gestão pública e o bem-estar da comunidade lagunense.

Notícias relacionadas

Previous
Next