Brincadeiras, concurso de fantasia e escola de samba animam Carnaval no Parque Diamante

A festa encerrou com muito samba no ritmo da Bateria Chapa Quente, da Escola de Samba Mocidade, de Laguna. O público pode dançar e se alegrar com os clássicos do Carnaval.
Foto: Comunicação/Parque Diamante

O sábado, 3, de sol e calor contribuiu com o clima de esquenta para o Carnaval 2024 no Parque Diamante +Energia, em Capivari de Baixo. Dezenas de pessoas se reuniram ao ar livre para o ‘Carnaval no Parque’, que contou com uma intensa programação voltada ao público infantil, com brincadeiras aquáticas, bolhas de sabão, oficina de máscara de Carnaval, contação de histórias e concurso de fantasia.

A jornalista Andréa Felisberto soube do evento e levou a sobrinha de Laguna para participar do concurso e curtir o resgate das brincadeiras de Carnaval. “Ficamos sabendo pelos portais de notícias da região que teria esse evento e trouxe minha sobrinha, ela está super empolgada. Queremos passar essa cultura carnavalesca para ela, que é a única criança da minha família, e achamos muito bacana ter essas atrações no Parque”, conta.

A sobrinha de Andréa e os netos de dona Isolete Nunes Cardoso, moradora de Capivari de Baixo, foram algumas das crianças participantes do concurso de fantasia. A atração rendeu momentos de descontração ao público sob o comando da Bel Anima e os olhares atentos dos jurados do concurso. Com roupas coloridas e inusitadas, as crianças desfilaram no palco montado sob uma tenda instalada no gramado do Parque. “Trouxe meus netos fantasiados dos personagens Luigi e Mario. Está muito divertido. Ano passado também participamos. Sempre frequentamos o Parque”, comentou dona Isolete, ao observar os netos animados com as atrações.

Além do concurso, a criançada pôde se refrescar com as brincadeiras aquáticas, ver as bolhas de sabão e ainda conhecer um pouco mais da história do Carnaval e as atividades que eram feitas há anos atrás, quando a festa surgiu no Brasil.

Festa inclusiva atrai comunidade surda

O Carnaval no Parque foi aberto ao público e incentivou a inclusão. Todo o evento contou com acessibilidade e intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras). A novidade atraiu algumas pessoas surdas, que tiveram a oportunidade de interagir e se divertir com as atrações.

A pedagoga e intérprete de Libras Andréia da Silva Fernandes, participou do evento fazendo a interpretação e destacou a importância desta inclusão. “Acho muito importante ter esse acesso para os surdos participarem, pois eles só vão em eventos onde tem intérprete. O Parque está sendo pioneiro na região em promover essa acessibilidade e ficamos felizes, pois isso faz toda a diferença”, destaca.

Andreia enfatiza que durante o evento, diversas pessoas surdas, que fazem parte da Associação de Surdos de Tubarão, estiveram no local. Silvia Marcelino, de 43 anos, usou a língua dos sinais para expressar sua alegria em estar no Carnaval no Parque. “É muito difícil para um surdo participar de um evento como esse. Não conhecia muito o Parque, mas como tem acessibilidade, quero participar mais, estou muito feliz”, disse Silvia.

Marcio Linhares, de 42 anos, e Amanda Jessica, de 31 anos, também são surdos, e estiveram pela primeira vez no Parque. “Não temos muito acesso, tudo é para ouvinte. Fiquei admirada que aqui teria intérprete, isso é muito importante para nós surdos”, reforça Amanda.

 No ritmo do samba

A festa encerrou com muito samba no ritmo da Bateria Chapa Quente, da Escola de Samba Mocidade, de Laguna. O público pode dançar e se alegrar com os clássicos do Carnaval.

A ação cultural gratuita é realizada por meio do Ministério da Cultura, do governo federal, e conta com o apoio da Associação Jorge Lacerda, gestora do Parque Diamante +Energia e com o patrocínio da Diamante Geração de Energia, através da Lei de Incentivo à Cultura.

Notícias relacionadas