Religião embala novamente enredo da Vila Isabel no pré-carnaval

Para 2024, a ideia seria homenagear Pedro Raymundo como revelou o Portal em julho passado, mas como não vai haver um desfile oficial, a tricolor internacional decidiu reeditar a letra que lhe deu o título máximo há 17 anos.
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Quando o sambódromo foi inaugurado em 2007, a Sociedade Recreativa Cultural Escola de Samba Vila Isabel, do Centro, foi campeã com um enredo que falava sobre a religião e que chamou muita atenção na época. A primeira apresentação da agremiação este ano será na abertura do pré-carnaval no dia 24.

Para 2024, a ideia seria homenagear Pedro Raymundo como revelou o Portal em julho passado, mas como não vai haver um desfile oficial, a tricolor internacional decidiu reeditar a letra que lhe deu o título máximo há 17 anos.

Cristão, ser ou não ser! Ai, meu Deus, que confusão tem autoria de Luciano Candemil e na época teve coordenação do ex-prefeito Mauro Candemil, integrante da comissão responsável pelo desfile na agremiação na ocasião. A descrição original do enredo dizia o seguinte: “Desde os tempos imemoráveis, o homem viu na religião o esteio para o dia-a-dia e a motivação para os seus maiores empreendimentos em busca do transcendente. Das religiões primitivas à Nova Era, esse enredo oferece uma viagem através do tempo, elevando a grandeza do homem e de seu espírito, através de diferentes manifestações de fé, tratando, em fantasias, a questão da religião sem preconceitos e posicionamentos”.

Confira a letra e cante com a escola

Senhor, Senhor, fazei de mim

Um instrumento de vossa paz

Ser ou não ser, cristão ou não

Ai, ai, Meu Deus que confusão (Bis)

O coração da Vila está em festa

Emoldurado pelas mãos do Criador

Sagrado santuário do samba

Foi navegar nos mares da oração

Das profecias de Alá a Maomé

Dos orixás, aos reinos do sol

Linda aquarela, olhos dos anjos do céu

Santa cerimônia, luz da inspiração

Na passarela, de joelhos ou de pé eu vou

Figa de guiné, olho-grande, patuá

Feitiçaria, sai pra lá

Guerreiro São Jorge, bota pra quebrar

Pra sacudir, pra balançar (bis)

Festa profana

Em romaria vejo o bem vencer o mal

Com fantasias

Se abraçando neste Carnaval.