Primeira votação de empréstimo de R$ 14 milhões será em sessão extra na Câmara

Autorização legislativa é uma das condições impostas para que o ente federado possa solicitar a carta de crédito. Em menos de cinco anos, é a segunda vez que Laguna pleiteará recurso do gênero. 
Foto: Luis Claudio Abreu/Agora Laguna

Cercado de expectativas, o projeto de lei para revogar a autorização para pedir um empréstimo pelo Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) da Caixa Econômica Federal (CEF) e dar à prefeitura autorização para contratar um novo, de até R$ 14 milhões, pelo Banco do Brasil, vai ser votado pela primeira vez em sessão extraordinária.

A discussão será na quarta-feira, 13, às 18h, na Câmara de Vereadores – na segunda-feira, 11, moradores ocuparam o plenário e levaram cartazes em protesto contra a iniciativa, que divide opiniões. Segundo a prefeitura, a busca pelo novo financiamento acontece porque esgotaram “os recursos da Caixa Econômica Federal destinados ao fornecimento de crédito através do programa”.

Não houve inclusão de projetos novos, sendo mantidas as pavimentações do outro pedido: avenida Giocondo Tasso em Cabeçuda, rua José Antônio Pedro, em Caputera, primeiro trecho do asfalto da Praia do Sol e acesso à Itapirubá. Na justificativa, o prefeito Samir Ahmad (sem partido) cita que o aumento no valor é devido à inflação. “Sabe-se que o país vive um processo inflacionário e que, portanto, a demora acaba gerando maior custo das obras, razão pela qual, também por este motivo, resta justificado o pedido de urgência”, diz.

A autorização legislativa é uma das condições impostas para que o ente federado possa solicitar a carta de crédito. Em menos de cinco anos, é a segunda vez que Laguna pleiteará recurso do gênero.

Notícias relacionadas