‘Superação de vida’: a lição de uma atleta lagunense no pódio

O evento, o Wahine Bodyboarding Pro, disputado na praia do Solemar, em Jacaraípe (ES), durante quatro dias, foi uma das raras exceções dos últimos anos que a lagunense abriu para voltar a competir sem esbarrar na falta de apoio.
Arquivo pessoal

O presente veio mais cedo este ano. Lagunense, Soraia Rocha Brizola completa 50 anos no próximo dia 18 de maio e celebrou semana passada com o terceiro lugar em mais um pódio na carreira de atleta. Ela, que tantas vezes ocupou o topo e colecionou medalhas, desta vez deixou a de bronze de lado: a conquista principal foi a superação e ser a prova que idade não é impedimento.

“Esse pódio representou uma superação de vida”, afirma a lagunense, bodyboarder desde a década de 1980 e bicampeã mundial. “Não devemos se limitar pela idade e ir além do que o corpo permitir, não se deixar boicotar pelos pensamentos negativos, foi meu aprendizado nesse evento”, garante.

A emoção foi ainda maior e compartilhada com outra atleta: a carioca Zana Castro. Em dupla, como auxiliar na categoria formada por atletas com deficiência, ela subiu pela segunda vez no lugar de destaque. “Ela não tem uma perna, mas competiu com mais força de quem tem duas. Ela surfou como uma guerreira, fazendo coisas que homens com duas pernas não fazem, enfrentar o mar e as ondas, sem medo”, relatou sobre a colega de prancha, completando: “Uma experiência incrível, o poder da mente está acima de qualquer limitação física”.

Sem patrocínio, participar do Wahine Bodyboarding Pro, disputado durante quatro dias na praia do Solemar, em Jacaraípe (ES), durante quatro dias, foi uma das raras exceções dos últimos anos que a lagunense abriu para voltar a competir.

Saudade de Laguna

Embaixadora de Laguna e atualmente residindo no Rio de Janeiro (RJ), Soraia não esconde a saudade da terra natal e sempre que pode compartilha recordações lagunenses e também momentos da carreira como atleta do mar, onde foi campeã mundial em 1992 e 2000.

Divulgação