PMP trata biguá

Segundo o projeto, o biguá tinha lesões orais provocada por esporões de bagre, que foram removidos pela equipe veterinária. O animal agora passa por tratamento com medicamentos antibióticos e recebendo alimentação específica.
Divulgação/PMP-BS/Udesc

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) divulgou que um biguá debilitado está em processo de tratamento na unidade de estabilização mantida pelo órgão na cidade.

Segundo o projeto, o biguá tinha lesões orais provocada por esporões de bagre, que foram removidos pela equipe veterinária. O animal agora passa por tratamento com medicamentos antibióticos e recebendo alimentação específica.

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no polo pré-sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. Caso encontre algum animal marinho vivo ou morto, entre em contato com o projeto pelo telefone 0800 642 3341.