PM intensifica proteção às mulheres via Rede Catarina

Objetivo é intensificar as ações de proteção por meio de visitas preventivas, bem como a fiscalização do cumprimento de medidas protetivas de urgência (MPUs), além de ações de conscientização das vítimas e da própria população da importância de denunciar este tipo de violência.
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Ao longo do mês de março, o 28º Batalhão de Polícia Militar (BPM) inicia a Operação Átria, integrada à Rede Catarina de Proteção à Mulher vítima de violência doméstica. Atualmente, 72 mulheres são acompanhadas pelo programa.

Segundo a corporação, o objetivo é ampliar as ações de proteção por meio de visitas preventivas, bem como a fiscalização do cumprimento de medidas protetivas de urgência (MPUs), além de ações de conscientização das vítimas e da própria população da importância de denunciar este tipo de violência.

No primeiro bimestre, a Rede Catarina do 28º BPM realizou 187 visitas preventivas. Já são 641 atendimentos em processos de violência doméstica remetidos pelo Poder Judiciário desde o início da pandemia, em 2020.

“O primeiro passo que a vítima deve dar é denunciar seu agressor. Mas, além disso, aderir aos serviços oferecidos pela Rede Catarina e órgãos de apoio é de suma importância para que a mulher não torne a viver novos episódios de violência e para que possamos dar uma resposta rápida e efetiva em casos reincidentes”, reforça o comandante do 28º BPM, tenente-coronel Rogério Piovesano Bartolamei.

A ação é realizada em conjunto com o Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas), que faz o acompanhamento psicológico das vítimas, de modo que possam se restabelecer emocionalmente dando-lhes voz e dignidade para um recomeço.

Notícias relacionadas