Comunicador Vânio Santos será lembrado em missa

Foram mais de 50 anos de atuação no rádio, com passagens pela televisão. Vânio Santos. Dinâmico, foi apresentador de musicais, jornalísticos, fez reportagem de rua, foi narrador esportivo e mestre de cerimônias.
Foto: Elvis Palma/Agora Laguna

Há exatamente um ano, Laguna e a comunicação sul-catarinense perdiam a versatilidade e a voz de Vânio Luiz dos Santos Justino, aos 64 anos. O radialista faleceu após não resistir às complicações provocadas por um acidente vascular cerebral. Foram mais de 50 anos de atuação no rádio, com algumas passagens pela televisão.

Vânio terá sua memória celebrada em uma missa no sábado, 9, às 18h, na Igreja Matriz Santo Antônio dos Anjos. Natural de Siderópolis, o comunicador veio ainda menino com a família morar em Laguna, mais precisamente na Roseta – ele preferia se referir sempre ao bairro Progresso pela denominação antiga.

O pai, Nerino Justino, foi técnico das emissoras de rádio de Laguna e não tardou a guiá-lo nesse ramo. A carreira começou ainda cedo, aos 14 anos, na extinta Rádio Garibaldi. Depois, levado por João Batista Cruz, foi para a Rádio Difusora. Entre os anos de 1980 e começo da década de 2000, Santos passaria pelas rádios Marconi (Urussanga), Hulha Negra (Criciúma) e Tubá (Tubarão). Também teve passagens pela então UnisulTV e Rádio Cruz de Malta (Lauro Müller).

Dinâmico, foi apresentador de musicais, jornalísticos, mestre de cerimônias, fez reportagem de rua, foi narrador esportivo – na última experiência, em 2018, em uma parceria da Difusora com a antiga Bandeirantes AM, de Tubarão, um dos gols do jogo que transmitiu pela Cadeira Verde-Amarela foi reproduzido no quadro “Redação AM”, do SporTV, canal por assinatura. Por ocasião dos seus 60 anos de vida, em 2017, Santos foi entrevistado pelo Jornal de Laguna e comparou sua relação com o rádio como se fosse um casamento: “Eu e o rádio? Na saúde e na doença, até que a morte nos separe”.