TJ anuncia concurso para cartorários, com vaga em Laguna

No estado, são 16 vagas para provimento (12 para livre concorrência, três para candidatos negros e uma para concorrentes com deficiência) e mais sete para remoção.
Divulgação

No próximo mês, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) vai começar a receber inscrições para o concurso público para ingresso, por provimento e remoção, na atividade notarial e de registro. São 16 vagas para provimento (12 para livre concorrência, três para candidatos negros e uma para concorrentes com deficiência) e mais sete para remoção.

As vagas para atividade notarial e de registro, por provimento, são para: Laguna, Nova Trento, Balneário Rincão, Aurora, Florianópolis (três vagas), Bom Jesus do Oeste, Guaramirim, Tangará, Fraiburgo, Rio do Sul, Campos Novos, Nova Itaberaba e São Bento do Sul. Para remoção, as cidades são: Modelo, Xanxerê, Florianópolis, Pomerode, Mafra e Mondaí.

As inscrições abrem no dia 20 de julho e poderão ser feitas até o dia 18 de agosto, pelo valor de R$ 350. O processo será feito neste site, sob coordenação do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).

As vagas de provimento podem ser disputadas de duas formas. Uma requer que o candidato tenha diploma de conclusão de curso em Direito (bacharelado) fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), até a data da outorga da delegação. A outra pede que o concorrente tenha exercido por 10 anos, completados até o dia 17 de junho de 2022, função em serviço notarial ou de registro.

Nas vagas de remoção, o interessado deve ter exercido função em serviço notarial ou de registro por mais de dois anos, completados até o dia 17 de junho de 2022. Segundo o TJ, os candidatos devem ficar atentos ao edital que traz ouros requisitos a serem cumpridos. Toda a seleção ocorre em Florianópolis, com provas objetiva, escrita e prática, de caráter eliminatório. Os testes ocorrerão nos dias 18 e 25 de setembro (objetiva para provimento e para remoção, respectivamente) e 11 de dezembro.

Além disso, há outras etapas a serem seguidas. De caráter eliminatório, a terceira foca em comprovar requisitos para a outorga de delegações. A seguinte é divida em fase: I ‐ exame psicotécnico e envio de laudos neurológico e psiquiátrico, de caráter descritivo e de presença obrigatória; II ‐ análise da vida pregressa, de caráter eliminatório. A penúltima etapa é a prova oral, também eliminatória e classificatório. O último passo é o exame de títulos, de caráter classificatório.