Pessoas com asma devem ter cuidados redobrados nessa época do ano

Asma é provocada quando os brônquios, pequenas estruturas responsáveis pela troca de ar dentro dos pulmões, se inflamam e isso gera inchaço nas vias áreas e produção de muco que, isoladamente ou combinados, podem levar à falta de ar de grau leve a extremo. Tosse, chiado, aperto no peito e dificuldades respiratórias são sintomas comuns da doença, que afeta crianças, jovens e adultos.

No Brasil, há mais de 20 milhões de pessoas diagnosticadas com asma, doença que responde pela terceira e quarta posição anualmente no índice nacional de hospitalizações no Sistema Único de Saúde. O período de outono e inverno favorece o agravamento de casos de pacientes asmáticos, que devem redobrar os cuidados.

Asma é provocada quando os brônquios, pequenas estruturas responsáveis pela troca de ar dentro dos pulmões, se inflamam e isso gera inchaço nas vias áreas e produção de muco que, isoladamente ou combinados, podem levar à falta de ar de grau leve a extremo. Tosse, chiado, aperto no peito e dificuldades respiratórias são sintomas comuns da doença, que afeta crianças, jovens e adultos.

Por isso, uma das principais instituições médicas renomadas do país, o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP (InCor) emitiu alerta para recomendar cuidados, principalmente com as variações de tempo seco, típicas do outono e do inverno, são propícias para o aumento de casos.

Uma união de fatores, segundo o hospital, como poluição, ausência de chuva e tempo frio faz com que muitos asmáticos procurem serviços de emergência com crises preocupantes, mas que podem ser evitadas. A recomendação básica é manter a doença tratada o ano todo, para chegar ao outono em boa condição de saúde.

À Agencia Brasil, o pneumologista Rafael Stelmach, diretor do Ambulatório de Asma do InCor, relatou que baixas temperaturas e umidade, agentes alergênicos e infecções típicas da estação são responsáveis por desencadear crises de asma. Sem o tratamento adequado e uma terapia com medicamentos, no caso do aumento dos sintomas, a inflamação pode progredir para a obstrução das vias aéreas e para a necessidade de internação.

“Pessoas que já têm a doença precisam estar prevenidas para passar por esse período do ano. Caso isso não aconteça, pode haver agravamento e descontrole da doença e assim dificultar a recuperação durante e depois das crises. Pacientes que moram em grandes centros urbanos costumam ser mais atingidos por conta da poluição. As regiões Sudeste e Sul do país são as mais afetadas. O Sul, principalmente, devido às temperaturas extremamente baixas nos períodos mais frios do ano”, afirmou.

O médico também recomenda que os asmáticos evitem fumar desde o cigarro tradicional ao eletrônico e também orienta que as roupas de uso pessoal e de cama, incluindo cobertores, edredom e travesseiros, que estejam guardadas há muito tempo, sejam higienizadas antes de serem usadas. Ele destacou ainda que é preciso ter cuidado com os animais de estimação, evitando que eles entrem no quarto de dormir, porque os pets são alergênicos para quem é asmático.

“Depois de lavadas e passadas a ferro, enquanto não forem novamente usadas, essas roupas devem ser guardadas, de preferência, em sacos plásticos, para protegê-las do contato com esses agentes alergênicos. Casa em que convivem pessoas com asma tem que ter travesseiros, colchões, tapetes e cortinas constantemente higienizados, e os ambientes arejados para evitar poeira e mofo”, disse o médico, que destaca, também, a importância de as pessoas com a doença tomarem a vacina contra a Influenza todos os anos, já que o imunizante é uma arma importante no controle e na prevenção de quadros graves da asma, porque a gripe é um gatilho para as crises.