‘MDB carece de um líder’, diz Deyvisonn de Souza ao reafirmar apoio ao projeto eleitoral de Moisés

Decisão de apoiar o projeto de reeleição do atual chefe do Executivo, antes de ser anunciada publicamente, foi comunicada por Souza a Antídio Lunelli, pré-candidato emedebista e ao MDB estadual. 

 2,281 visualizações,  8 views today

O prefeito de Pescaria Brava, Deyvisonn de Souza (MDB), voltou a reafirmar que irá apoiar o projeto de reeleição do governador Carlos Moisés (Republicanos). A declaração foi dada em entrevista à Rádio Difusora, na segunda-feira, 9, e ocorreu dois dias depois do ato de lançamento do edital de pavimentação da rodovia SC-437, onde o emedebista fez a primeira manifestação pública de endosso eleitoral ao chefe do Executivo estadual.

Em Santa Catarina, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) definiu o ex-prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, como pré-candidato ao governo estadual em uma decisão polêmica, que envolveu várias disputas internas e culminou na saída do senador Dário Berger do partido – ele migrou para o Partido Socialista Brasileiro (PSB) e busca protagonismo na Frente Democrática Popular, encabeçada pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

Para Souza, esse ‘racha’ interno é resultado da ausência de uma liderança forte, capaz de apaziguar os ânimos e manter a união partidária. Na entrevista, ele lembrou a figura de Luiz Henrique da Silveira, ex-governador por dois mandatos e ex-senador, que morreu em 2015, e que é tipo por muitos emedebistas históricos como o principal elo entre as forças políticas da legenda.

“O nosso partido carece de um líder. O nosso saudoso Luiz Henrique faz muita falta. Temos hoje, infelizmente, quatro alas dentro do MDB. Tivemos a saída do Dário Berger, que só usou o partido para se eleger e saiu. A bancada estadual, vamos ser sinceros, está toda com o governador e aí, há três semanas, tivemos o jantar dos prefeito do MDB, todos tiveram oportunidade de falar e foram unânimes as falas que nós temos que apoiar essa administração do Moisés, que tem feito muito por Santa Catarina”, disse.

O prefeito bravense e o pré-candidato emedebista chegaram a se reunir semanas antes, porém, também pesou o fato de o nome do empresário não ter decolado na opinião pública como o esperado. A decisão de apoiar o projeto de reeleição do atual chefe do Executivo, antes de ser anunciada publicamente, foi comunicada por Souza a Lunelli e ao MDB estadual.

“Nós fomos contemplados esse ano com 32 milhões e 600 mil. Nossa receita anual é de 40 milhões. Ou seja, ganhei uma receita. Como vou ter discurso para ser contra um governo desse que ajuda e contribui com a população? Não tenho alternativa. Demorei para tomar a decisão e eu sou uma pessoa que cumpre a palavra na política. A minha foi dada e eu vou trabalhar para que ele se reeleja”, justifica.

No ato de sábado, também manifestaram apoio público os deputados estaduais emedebistas Volnei Weber e Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro, que chegou a ser secretário de Estado da Educação, no governo Moisés. Ele deixou o cargo para se desincompatibilizar e poder concorrer à uma vaga na Câmara Federal.

Prefeitos do PSD e PSDB também manifestam apoio

Nesse começo de semana, o prefeito Clésio Salvaro (PSDB), de Criciúma, sinalizou endosso a Moisés durante um ato do governo estadual na cidade-polo da Região Carbonífera. “É um governo que cumpre. E aquele que honra com seus compromissos, merece continuar”, discursou.

Já o pessedista Dorival Braga, de Videira, informou à direção estadual, da qual também faz parte, que não acompanhará os alinhamentos políticos do PSD. Em reunião na segunda-feira, o partido indicou que deve coligar com o União Brasil, que tem o ex-prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, como pré-candidato ao governo.