Ex-vereador Peterson Crippa volta ao Progressistas e se lança pré-candidato

Filiação foi tornada pública na segunda-feira, 4, mas ocorreu na última semana de março, em um encontro na capital com o senador da República, Espiridião Amin, principal liderança da legenda. 
Divulgação
Previous
Next

O ex-vereador Peterson Crippa, o Preto, voltou ao Progressistas após ter deixado a legenda em março de 2020 para concorrer à prefeitura de Laguna pelo antigo Democratas (atual União Brasil). A filiação foi tornada pública na segunda-feira, 4, mas ocorreu na última semana de março, em um encontro na capital com o senador da República, Espiridião Amin, principal liderança da legenda.

Além de retornar ao partido, o ex-legislador colocou seu nome à disposição da direção estadual como pré-candidato à Câmara Federal. “Como vereador por cinco anos, criei experiência e ganhei conhecimentos e hoje, livre, me sinto preparado para legislar em qualquer esfera, seja municipal, estadual ou federal. Tanto é que trouxe de Brasília quase 3 milhões de reais na ocasião. Imagina se tiver como deputado, o que poderei fazer pela Amurel?”, diz Crippa.

O Progressistas também filiou novamente o ex-vereador de Florianópolis, Pedro Silvestre, o Pedrão. Na eleição de 2020, ele havia trocado o partido pelo PL para concorrer à prefeitura da capital. Assim como Crippa, Silvestre foi o terceiro mais votado no pleito de novembro. “Volto sem medo e com a coragem de enfrentar a mesmice. Foi assim que iniciei minha trajetória em 2008. Hoje, 14 anos depois, já provei que o meu discurso é realidade e me colocarei mais uma vez a disposição, para aqueles que buscam o novo, com experiência e com histórico político ilibado”, afirma o político lagunense.

Quarto partido

A volta do lagunense ao PP o coloca pela quarta vez em uma legenda partidária. Crippa ingressou pouco antes da eleição de 2008 no antigo PRB (atual Republicanos) e concorreu pela primeira vez à Câmara Municipal, não sendo eleito. Em 2012, já no Progressistas (ainda denominado de Partido Progressista), ficou na suplência e assumiu por um ano o mandato em 2015. Já em 2016, conquistou a cadeira no Legislativo.

Em 2019, começou a dar sinais de que deixaria o Progressistas após ter a tentativa de disputar a presidência do diretório municipal frustrada. Na época, se tornou público o embate com o também vereador Roberto Alves, a quem chegou a chamar de maior de rival político. No mesmo ano, foi convidado pelo presidente estadual do DEM, João Paulo Kleinübing para migrar para a legenda, o que ocorreu em março de 2020.

Pelo novo partido, disputou a prefeitura e na ocasião, fez 5.049 votos, a terceira maior votação entre seis candidatos. A desfiliação do Democratas ocorreu no início do ano passado, após a legenda ter se aproximado do governo de Samir Ahmad (Republicanos).

Previous
Next

Notícias relacionadas

Previous
Next