Site para consultar valores a receber de bancos volta ao ar dia 14

Em nota, o banco disse que “no momento da consulta em valoresareceber.bcb.gov.br o cidadão saberá se tem valor a receber" e se houver alguma quantia disponível, "receberá a data para conhecer esses valores e solicitar sua transferência, a partir do dia 7 de março de 2022”.
Foto de arquivo: Agora Laguna

A partir do próximo dia 14, o Banco Central (BC) vai permitir a retomada das consultas ao Sistema Valores a Rever (SVR), através de um portal online exclusivo para esse fim.

Com o anúncio do sistema, em janeiro, houve uma grande quantidade de acessos no site do próprio BC, que com a alta demanda acabou sofrendo instabilidades. Agora, o novo portal será hospedado no link valoresareceber.bcb.gov.br e não será mais possível consultar pelo site antigo ou pelo Registrato, plataforma da autarquia estatal.

Em nota, o banco disse que “no momento da consulta em valoresareceber.bcb.gov.br o cidadão saberá se tem valor a receber” e se houver alguma quantia disponível, “receberá a data para conhecer esses valores e solicitar sua transferência, a partir do dia 7 de março de 2022”.

Caso, por algum motivo, o interessado perca a data, poderá fazer uma nova consulta a qualquer momento para receber uma nova data de agendamento. No site há um passo-a-passo com todas informações necessárias para o resgate dos valores.

“O cidadão nunca perde o direito sobre os valores em seu nome. As instituições financeiras guardarão esses recursos pelo tempo que for necessário, esperando até que o cidadão solicite a devolução”, diz a nota do BC.

Ainda segundo o banco, para acessar o Sistema Valores a Receber é necessário que o interessado tenha um cadastro no site gov.br nível prata ou ouro. O cadastro pode ser feito gratuitamente pelo aplicativo gov.br ou por meio da internet. Para acessar o site, clique aqui.

Alerta
O BC alerta sobre o risco de alguns golpes que podem ser aplicados. O serviço não será disponibilizado em nenhuma outra página da internet. Além disso, não serão feitos contatos telefônicos nem envio de links para as pessoas, para tratar sobre valores a receber ou para confirmar dados pessoais.

“Ninguém está autorizado a entrar em contato com o cidadão em nome do Banco Central ou do Sistema Valores a Receber. Portanto, o cidadão nunca deve clicar em links suspeitos enviados por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram”, informa o banco ao afirmar que nenhum pagamento deverá ser efetuado para que se tenha acesso aos valores.

Notícias relacionadas