Orientar & Fiscalizar: Diretoria de Portos e Costas (DPC) – Resumo das lições aprendidas em acidentes para apresentação aos tripulantes – Perda de vidas e ferimento de pessoas

O que aconteceu? O Imediato e cinco tripulantes estavam verificando o arranjo de fixação da âncora durante o mau tempo. O navio começou a balançar e duas ondas varreram a proa. Um marinheiro foi capaz de se proteger das ondas. O Imediato e outros quatro membros da tripulação, que estavam de frente para a proa naquela época, não tinham conhecimento das ondas que se aproximavam. O impacto das ondas jogou-os do castelo de proa para vários locais no convés avante. O Imediato e um marinheiro morreram como resultado de seus ferimentos. Os restantes marinheiros feridos foram levados para um hospital.
Del Laguna (Arte)

O que aconteceu?

O Imediato e cinco tripulantes estavam verificando o arranjo de fixação da âncora durante o mau tempo. O navio começou a balançar e duas ondas varreram a proa. Um marinheiro foi capaz de se proteger das ondas. O Imediato e outros quatro membros da tripulação, que estavam de frente para a proa naquela época, não tinham conhecimento das ondas que se aproximavam. O impacto das ondas jogou-os do castelo de proa para vários locais no convés avante. O Imediato e um marinheiro morreram como resultado de seus ferimentos. Os restantes marinheiros feridos foram levados para um hospital.

Por que aconteceu?

O Imediato, agindo por sua própria iniciativa, colocou-se a si mesmo e aos que o estavam auxiliando em alta situação de risco verificando o dispositivo de fixação da âncora em mau tempo sem primeiro avaliar os riscos. Ele não notificou o Comandante ou o Oficial de serviço no passadiço que o pessoal estaria trabalhando no deck do castelo de proa e, portanto, ambos não tinham consciência da tarefa a ser executada. O Imediato subestimou as condições climáticas e os potenciais efeitos sobre a missão que estava sendo executada. Ele, e os cinco membros da tripulação que o auxiliavam, não estavam usando cintos de segurança com linhas de vida.

O que podemos aprender?

As linhas de vida presas às grades poderiam ter impedido que os marinheiros fossem
varridos do castelo de proa e poderiam ter reduzido a extensão das lesões.
É importante notar que o Comandante e o Oficial de serviço no passadiço deveriam ter sido
avisados que o trabalho estaria sendo realizado no convés, especialmente durante o tempo adverso. É fácil até mesmo para um pessoal experiente subestimar os potenciais efeitos adversos do tempo sobre os trabalhos que estão sendo executados.

Atenção!!

Ao observar alguma situação que represente risco para a segurança da navegação, para a salvaguarda da vida humana no mar ou para a prevenção da poluição hídrica, procure a Capitania dos Portos, Delegacia ou Agência mais próxima de sua região clicando aqui.

Telefone emergencial da Marinha: 185

Pelo Ato nº 881, de 18 de fevereiro de 2008 da Anatel, foi autorizado o uso do Código de Acesso a Serviço Público de Emergência no formato “185”, para atendimento nos serviços prestados pela Marinha do Brasil, para atendimento da salvaguarda da vida humana no mar, com a designação de “Marinha – Emergências Marítimas e Fluviais”.

Contato:
Delegacia da Capitania dos Portos em Laguna.
Telefone: (48) 3644-0196
Email: dellaguna.ouvidoria@marinha.mil.br.

Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Agora Laguna.

Útimas Notícias

Relacionados