‘Fiscalização de repente não vai conseguir cobrir o município todo’, reconhece secretário de Turismo

Em entrevista a emissora de rádio, gestor reforçou que a medida editada pelo prefeito interino Rogério Medeiros (PSDB), é para evitar qualquer tipo de aglomeração que descumpra os protocolos sanitários estabelecidos durante a pandemia. A norma não afeta os blocos privados e festas particulares organizadas dentro do regramento conhecido como Evento Seguro.

Dias depois da entrada em vigor do decreto municipal para proibir festas carnavalescas de rua e uso de equipamentos sonoros até quarta-feira, 2 de março, o secretário de Turismo e Lazer, José Mello Júnior, reconheceu que a fiscalização do cumprimento da normativa pode não acontecer da maneira como esperada, de forma a alcançar toda a cidade. A constatação foi feita em entrevista à Rádio Cidade de Tubarão, na última sexta-feira, 25.

À emissora, o gestor reforçou que a medida editada pelo prefeito interino Rogério Medeiros (PSDB), é para evitar qualquer tipo de aglomeração que descumpra os protocolos sanitários estabelecidos durante a pandemia. A norma não afeta os blocos privados e festas particulares organizadas dentro do regramento conhecido como Evento Seguro.

A fiscalização cabe à Guarda Municipal, polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e há citação à Comissão Especial de Controle do Ato Fiscal (Cecaf), que é um órgão pouco conhecido da prefeitura. “Laguna tem 33 comunidades e em todas elas [as normativas do decreto] serão aplicadas. A gente sabe que a fiscalização, a parte de segurança, de repente não vai conseguir cobrir o município todo na qualidade que se quer; mas o decreto é para toda a extensão do município”, afirmou Mello Júnior.

Mesmo sem festas públicas, a Secretaria de Turismo e Lazer projeta que até 200 mil pessoas circulem pela cidade durante esses dias de folia. “Os restaurantes da cidade até segunda-feira, dependendo do horário, vais pegar fila”, exemplificou na entrevista. “O fluxo vai acontecer […] talvez diferente do que acontecia antes”.

Polícia monta operação

Segundo a Polícia Militar (PM), a corporação montou uma operação que vai durar até terça-feira, 1º. A PM vai contar com reforço da base aérea e outras formas de policiamento. “Sabemos que o Carnaval será só de blocos fechados, mas estamos prevendo a presença de pessoas nas vias públicas do município. Faremos várias operações”, disse o major Marcelo Oliveira Santos, chefe do setor de Operações do 28º Batalhão de Laguna.

Notícias relacionadas